quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Com o nosso trabalho vencemos a crise; jornada de 40 horas garante crescimento

A redução da jornada de trabalho é a principal medida que o país deve adotar para avançar ainda mais na superação da crise econômica. Reduzir a jornada de 44 para 40 horas semanais, sem reduções dos salários, incrementa a produção, estimula a economia e reduz gastos sociais. Além disso, é importante destacar que a jornada de trabalho no Brasil é uma das maiores do mundo. Se vencemos a crise até agora com o nosso trabalho, é preciso valorizar os trabalhadores e sua capacidade de produzir.

Apesar da resistência de determinados setores empresariais, a mudança é tão positiva quanto foi a redução anterior, de 48 para 44 horas semanais. Da mesma forma, no final dos anos oitenta, os empresários argumentaram que a redução resultaria em prejuízos para a produção. O que se verificou, na verdade, foi o contrário, com um aumento da produtividade de 84%, entre 1988 e 2008. Imediatamente, a redução da jornada para 40 horas resulta em cerca de 2 milhões de novos empregos, ou seja, novos consumidores, com incremento do mercado interno.

É evidente que trabalhadores menos estressados, com maior convívio familiar, terminam produzindo mais, com mais eficiência e prazer. Dados oficiais apontam que mais de 50% dos acidentes de trabalho registrados no país ocorrem no período da segunda hora extra. Isso torna-se ainda mais grave quando sabemos que em torno de 50% dos trabalhadores brasileiros realizam hora extra. Além disso, a redução da jornada significará uma grande economia para os serviços de saúde pública do país.

Por outro lado, a redução da jornada de trabalho é fundamental para enfrentar o grave problema da falta de qualificação profissional no país. É óbvio que com a jornada atual, ainda acrescida por horas extras, praticamente nenhum trabalhador dispõe de tempo e menos ainda de energia para estudar. E ninguém mais tem dúvida da importância do trabalho cada vez mais qualificado para enfrentar a concorrência no mundo globalizado. Apostar na redução na redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais é jogar no time avanço da economia, da produtividade, com maior qualificação profissional, e da saúde e felicidade da família dos trabalhadores brasileiros.

A Força Sindical surgiu em março de 1991 e, desde então, está à frente das principais lutas dos trabalhadores brasileiros. Em nosso estado, a “Força” destaca-se pela sua postura de firmeza e combatividade, mas sempre aberta ao diálogo. Por isso, conquista adeptos a cada dia que passa, transformando-se na Central Sindical que mais cresce. Hoje, somos mais de uma centena de sindicatos e federações de diversas categorias e regiões do estado. Sob a coordenação nacional do presidente e deputado federal Paulo Pereira da Silva, somos mais de 1,2 mil entidades voltadas para a defesa dos direitos dos trabalhadores.

Um comentário:

  1. muito boa a exposição de motivos a respeito da redução da jornada de trabalho sem redução de salários. mas é preciso que esta discussão seja posta nas ruas para melhor entendimento dos trabalhadores, que possam compreender o significado desta redução na qualidade de vida e na oportunidade de mior tempo para sua vida pessoal e familiar. mas tem que vir acompanhada do fim do banco de horas e da regulamentação das horas extras com maior rigor, para que não seja uma redução inócua.

    ResponderExcluir