sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Trabalhadores querem ser sócios do pré-sal

A direção nacional da Força Sindical divulgou a seguinte nota sobre novas aquisições de ações da Petrobras com dinheiro do FGTS:

Acreditamos que o Pré-Sal, e um novo marco regulador do petróleo, irão trazer enormes benefícios para o País. Mas, para que estes benefícios resultem em distribuição de renda e justiça social, é preciso permitir que os trabalhadores tenham a opção de comprar ações da Petrobras, usando cotas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

Apresentamos hoje, uma Emenda ao Projeto do Governo que destina 15% do saldo total do FGTS para aplicação em ações. Além disso, que 3% das verbas do Fundo Social de Combate à Pobreza, que será criado com recursos do Pré-Sal, sejam canalizados para um Fundo de Amparo para os excluídos da 3ª idade.

O governo, que age sob o signo do progresso e da justiça social, deve entender que este mecanismo é importante, e que irá ajudar a capitalizar a estatal, além de permitir que os trabalhadores lucrem com as riquezas do País. O governo não pode discriminar os trabalhadores recusando-lhes o direito de socializar este capital, que pertence ao povo brasileiro.

Lembramos que a Força Sindical foi incentivadora dessa prática no ano 2000, quando o governo decidiu vender ações da estatal aos trabalhadores utilizando o FGTS. Destacamos, ainda, que quem optou pela aquisição teve lucratividade de quase 800% até hoje, enquanto que o FGTS, nesse mesmo período, rendeu apenas 59,75%.

Paulo Pereira da Silva (Paulinho)
Presidente da Força Sindical

Nenhum comentário:

Postar um comentário