quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Barak Obama participa do Congresso da AFL-CIO, nos EUA



- Veja aqui o discurso na integra.

O companheiro Nilton Neco, presidente do Sindec e diretor de Relações Internacionais da Força Sindical participou do evento, nos Estados Unidos. No discurso de Obama, a defesa das reformas sociais, que encontram a resistência dos setores conservadores, da velha economia, derrotados nas eleições. Nos aplausos dos trabalhadores, o clima da luta política em curso nos Estados Unidos. Um momento que merece a reflexão da classe trabalhadora mundial.

Veja abaixo matéria sobre a reunião.


Aproximadamente 800 delegados sindicais de entidades sindicais dos EUA e 150 dirigentes sindiciais convidados de 50 países participam do Congresso da AFL-CIO, em Pittsburgh, na Pensilvânia, nos EUA, que começou no dia 13 e terminará amanhã (dia 17). Da Força Sindical estão presentes Sergio Luiz Leite, 1º Secretário da Central e presidente da Fequimfar e Nilton de Souza, Neco, secretário de Relações Internacionais.

No dia 15, o presidente dos EUA, Barak Obama, falou aos congressistas por uma hora. Obama destacou a universalização da saúde. Afinado com as resoluções da AFL-CIO, ele está debatendo este assunto no Congresso Nacional dos EUA.

Atualmente, nos EUA existem cerca de 40 milhões de americanos que não tem nenhum tipo de proteção à saúde (nem pública, nem a privada). A proposta em debate, é de criar, através do governo, uma seguradora de saúde pública, que irá concorrer com as seguradoras privadas, com o objetivo de dar oportunidade de acesso a população mais carente. Outra meta é também concorrer com as seguradoras privadas para reduzir custos também para a classe média ( grande cliente das seguradoras ). As seguradoras privadas estão contra.

O presidente norte-americano falou também de democratizar a legislação sindical adotando liberdade para organização dos trabalhadores. Hoje a lei americana é restritiva para a criação de sindicatos. Outro item abordado por Obama foi sobre o trabalho dos imigrantes que hoje, na sua maioria ou totalidade, não tem nenhum direito trabalhista, inclusive sindical.

Outros temas destacados pelo presidente Obama foram: investimentos em obras e serviços públicos e o seu empenho para recuperar os empregos perdidos na crise financeira; e a lei de igualdade de direitos e oportunidades entre homens e mulheres.

* Assessoria de Imprensa da Força Sindical.

Nenhum comentário:

Postar um comentário