sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Unidas centrais decidem intensificar luta por aumento dos aposentados

Os presidentes das centrais sindicais Força Sindical, CUT, CGTB, UGT, Nova Central, CTB, juntamente com representantes dos aposentados, reunidos em São Paulo, avaliaram projetos de interesse dos trabalhadores e aposentados que estão em tramitação no Congresso Nacional.

O presidente da Força Sindical e deputado federal, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, ressaltou a importância do movimento sindical lutar para consolidar, através de leis, uma política social de reajuste do salário mínimo, que beneficia 22 milhões de pessoas, e a implementação da política de recuperação do poder de compra do aposentados e pensionistas.

"Acreditamos que o melhor caminho é o governo editar uma Medida Provisória (MP) concedendo aumento para os aposentados que ganham valores acima de R$ 465 e outra MP sobre o reajuste do salário mínimo, e que a negociação sobre o fim do fator previdenciário para ano que vem, com mais tempo para o debate", definiu o dirigente da Força Sindical.


Ao final da reunião, as centrais unidas divulgaram a seguinte nota:

As centrais sindicais CUT, Força Sindical, UGT, NCST, CTB e CGTB, a COBAP e os sindicatos nacionais de aposentados, reunidos nesta data em São Paulo, avaliaram projetos de interesse dos trabalhadores e aposentados em tramitação no Congresso Nacional, deliberaram consensualmente o seguinte:

1. Defender a imediata aprovação da Política Permanente de Recuperação do Salário Mínimo, até 2023, com base no INPC do ano anterior, acrescido da variação do PIB de dois anos anteriores, conforme projeto de lei do Executivo;

2. Defender o estabelecimento de uma Política Permanente de Recuperação dos Benefícios das Aposentadorias e Pensões com valores superiores ao salário mínimo, com base na variação do INPC do ano anterior, acrescido de 80% do PIB de dois anos anteriores; e

3. Ratificar a posição unitária das Centrais e das representações dos aposentados, favoráveis ao fim do fator previdenciário, contra a exigência de idade mínima para aposentadorias e contra a adoção da chamada média curta para cálculo das aposentadorias.

São Paulo, 23 de novembro de 2009

CTB - Wagner Gomes
CUT - Artur Henrique
Força Sindical - Paulo Pereira da Silva
UGT - Ricardo Patah
NCST - Calixto Ramos
CGTB - Antônio Neto
COBAP - Warley Martins
Sindicato Nacional dos Aposentados (FS) - João Batista Inocentini

Nenhum comentário:

Postar um comentário