quarta-feira, 30 de junho de 2010

terça-feira, 29 de junho de 2010

Conveção PDT/PMDB

Momentos da Convençãoo do PDT/PMDB neste sábado, dia 26 de junho na Assembléia Legislativa.
Oficial José Fogaça e Pompeo de Mattos candidatos ao governo do estado.
Clàudio Janta para deputado estadual, representando os trabalhadores no Parlamento Gaúcho.

Momento histórico entre os partidos - união da rosa vermelha do PDT com a chama do PMDB




















Mais de cinco mil militantes na convenção















Pompeo de Mattos - candidato vice-governador, o vereador Arisnei de Charqueadas e Clàudio Janta











No Plenarinho com os companheiros do PDT e ministro Lupi







segunda-feira, 21 de junho de 2010

Brizola vive

Nesta segunda-feira, dia 21 de junho, foi o 6° aniversário de morte do grande líder político trabalhista Leonel Brizola.



Janta recebeu o ministro Carlos Lupi no aeroporto de São Borja para as homenagens ao ex-governador Brizola














O presidente do partido também compareceu para a homenagem















Durante a homenagem

Vigilantes

Dia 20 de junho é o dia do Vigilante.

Em Pelotas, Janta acompanhou e deixou seu recado para a categoria, uma das maiores do Brasil.

A regulamentação dos vigilantes é a principal mazela e que afeta diretamente a profissão.

“Todas as categorias precisam de leis que regulamentem e definam quais as atribuições.Neste dia de festa temos que refletir quais são as necessidades dos vigilantes e buscar de forma unida os direitos e melhores condições, além de reconhecimento”, Clàudio Janta.


Janta com o presidente do Sindicato dos Vigilantes de Pelotas João Jorge














sexta-feira, 18 de junho de 2010

Canoas

Encontro com comerciários e lideranças comunitárias de Canoas.
















Qualificação profissional

Governo aposta que criará 99 novas escolas técnicas em todo o Brasil.

Segundo Clàudio Janta a criação e o investimento em escolas técnicas e aperfeiçoamento da mão de obra é uma necessidade urgente para os trabalhadores e jovens. Somente assim vamos promover e gerar um maior desenvolvimento econômico para todo o Rio Grande do Sul.Temos que voltar a investir nas escola técnicas, elas sim, são a garantia de trabalho sempre.

Ficha Limpa vale para políticos condenados antes da lei

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu ontem que a Ficha Limpa vale para quem foi condenado antes da lei entrar em vigor, no dia 4 de junho. A maioria dos ministros, por 6 votos a 1, acompanhou o voto do relator, ministro Arnaldo Versiani, que ressaltou que a inelegibilidade não é uma pena, e sim uma condição que deve ser verificada no momento de registro da candidatura.

O tribunal respondeu a consulta feita pelo deputado federal Ilderlei Cordeiro (PPS-AC), que formulou seis perguntas. A primeira era sobre a aplicabilidade da lei já neste ano, respondida afirmativamente pelo tribunal na semana passada.

Outras indagações, respondidas afirmativamente na sessão de ontem, tratavam da abrangência da lei, questionando se ela se aplicava a processos iniciados antes de sua vigência, ou a processos em tramitação, já julgados ou em grau de recurso. Também foi perguntado se a lei pode retroagir para agravar a pena de elegibilidade aplicada conforme lei anterior, pois o período em que a candidatura fica impedida passou de três para oito anos, e se a nova lei pode estabelecer inelegibilidade antes do trânsito em julgado.

O parecer do Ministério Público Eleitoral foi pela aplicação da lei não só nos casos posteriores a 4 de junho, mas em todas as hipóteses em que estiver configurada. “A técnica gramatical não se resume à interpretação simples e literal, é preciso ter conexão com sentido da lei”, afirmou a vice-procuradora Eleitoral, Sandra Cureau.

O relator, ministro Arnaldo Versiani, considerou irrelevante saber o tempo verbal empregado pelo legislador. “O momento de aferição das causas de inelegibilidade é o registro, pouco importa o tempo verbal”, afirmou, concluindo: “Não há direito adquirido à elegibilidade, as causas devem ser aferidas a cada eleição”.

O ministro também ressaltou que nos casos de inelegibilidade ninguém é declarado culpado, o que descarta o argumento da presunção de inocência. Lembrou que essa é uma restrição temporária que não configura perda de direitos políticos. Afirmou, ainda, que a nova lei dá chance de defesa. “A parte pode entrar com um recurso para que o tribunal suspenda, em caráter cautelar, a inelegibilidade”, afirmou.

O presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, disse que o Senado Federal entendeu que mesmo com as alterações no tempo verbal – que passou de “os que tenham sido condenados” para “os que forem condenados – o sentido da lei foi integralmente preservado. “Caso contrário a Casa teria devolvido o texto à origem”, afirmou.

Para a ministra Cármen Lúcia, a alteração verbal não impôs condição de futuro. Ela usou o exemplo de uma lei fictícia que atinja, por exemplo, “os que forem magistrados”, dizendo respeito a quem é magistrado agora e não no futuro. Os ministros Hamilton Carvalhido e Aldir Passarinho Junior também acompanharam integralmente o voto do relator.

O ministro Marco Aurélio respondeu negativamente a todas as perguntas. Já o ministro Marcelo Ribeiro, apesar de entrar na conta dos votos favoráveis, disse que em alguns casos a inelegibilidade deve ser tratada como pena, e por isso, fez um voto com várias ressalvas e respondendo “em termos”.

“Não se pode passar uma régua e dizer que a inelegibilidade não é pena em todos os casos”, disse Ribeiro, para quem a Lei da Ficha Limpa não pode ser aplicada em questões já transitadas em julgado. “Desconsiderar uma condenação transitada em julgado é pior que fazer um novo julgamento. Pelo menos, no novo julgamento, o réu tem direito ao contraditório”, explicou o ministro, dizendo-se impressionado com uma interpretação que fuja a esse entendimento.



Fonte: Agência Brasil


"A corrupção é o câncer deste País. Honestidade é uma obrigação de todos", Clàudio Janta

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Parque eólico na fronteira

A instalação e inicio das obras do parque eólico em Santana do Livramento e região da fronteira é uma eterna luta do movimento sindical que busca o desenvolvimento integrado e sustentável da Metade Sul do Estado.

A região da fronteira com o Uruguai e a Argentina é, desde o lançamento do Mapa Eólico, reconhecida como de grande potencial para a instalação de parques geradores e, no entanto, não havia políticas de viabilidade para a efetivação destes parques na região sul, a exemplo do existente em Osório, no Litoral Norte.

A instalação vai gerar emprego e renda para a região, além de desenvolvimento.
_________________________________________________________________________________

A FORÇA DOS VENTOS
Obras de parque eólico vão começar na sexta

Com a assinatura de uma ordem de serviço, começam sexta-feira as obras do Complexo Eólico Cerro Chato, em Santana do Livramento. São três parques eólicos que somam 90 megawatts de potência instalada, que exigirão investimentos de R$ 400 milhões.

Resultado de parceria entre a Eletrosul (90%) e a Wobben (10%), subsidiária da alemã Enercon que fabrica equipamentos no Brasil, a Eólica Cerro Chato SA será a responsável pela implantação, manutenção e operação das usinas. Cada um dos três parques terá 30 MW, distribuídos em 45 aerogeradores com torres de 108 metros de altura, todos já com licenciamento ambiental completo para início das obras.

As torres serão produzidas no Estado, enquanto os aerogeradores vêm da unidade da Wobben em Sorocaba (SP). O início da montagem está previsto para janeiro de 2011.

– O prazo para entrada em operação comercial das três usinas é julho de 2012 – prevê o diretor de Engenharia e Operação da Eletrosul, Ronaldo dos Santos Custódio.

Quando a Eletrosul emplacou os projetos no leilão de dezembro passado, o projeto era chamado de Coxilha Negra. Conforme Custódio, a mudança de nome se deve à troca de local do empreendimento. A medição de ventos havia começado na Coxilha Negra, mas foi detectado melhor potencial no Cerro Chato. A mudança de nome foi evitada para não atrasar a participação no leilão, mas agora que tudo está resolvido, a denominação foi alterada para ser fiel à localização do projeto.

– Seria como chamar de Atlântida um projeto em Capão da Canoa – compara o gaúcho Custódio.

No complexo, haverá uma subestação de 230 quilovolts que levará a energia produzida até a Subestação Livramento 2, da CEEE, que colocará a geração no sistema nacional.

A Eletrosul planeja disputar também o leilão de agosto com outros dois projetos que somam 42 MW.

Fonte Zero Hora

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Bagé

Acompanhando a agenda majoritária dos pré-candidatos ao governo do estado, José Fogaça e Pompeo de Mattos, em Bagé.














































Os pré-candidatos realizaram coletiva de imprensa em Bagé ao meio dia e logo após fizeram caminhada no centro e visitaram os diretórios do PDT e PMDB.

Candiota

O sindicalista visitou os municípios de Ulha Negra e Candiota.

Janta estava acompanhado pelo ex-prefeito de Larvas do Sul, Aristides.

O pré-candidato conversou também com os funcionários das usinas e também com mais de 40 trabalhadores que estavam na porta da empresa atras de uma oportunidade.
















quarta-feira, 9 de junho de 2010

São Gabriel
















Em reunião do diretório do PDT de São Gabriel, Clàudio Janta defendeu a qualificação profissional como forma de educação, emprego e renda para os trabalhadores de todo o Estado.

"O retorno das escolas técnicas e os cursos profissionalizantes são a nova realidade para o desenvolvimento e crescimento economico do país. Só temos a perder,, como já estamos, se não mudarmos situação".

Qualificação

Em Encruzilhada do Sul a qualificação profissional é uma necessidade imediata, assim como o mapeamento das profissões e cursos profissionalizantes. O município precisa identificar junto a sociedade a sua vocação.

Com a extinção da Secretaria do Trabalho e Emprego o Estado deixou de possuir informações como a quantidade de postos de trabalho disponíveis por município.

A região também sente o descaso e a falta de comprometimento do Sistema S que não disponibiliza cursos gratuitos para os trabalhadores e tão pouco garante conhecimento pratico, assim inviabiliza qualquer qualificação da mão de obra. É uma obrigação do Sistema S servir os trabalhadores.

Outro exemplo da falta de qualificação no Estado são as obras do PAC – o RS está importando mão de obra de outras regiões para trabalhar, enquanto aqui tem muitos trabalhadores em busca de emprego, basta qualificar.

"Temos muitos diplomas. Agora precisamos voltar a investir em escolas técnicas e profissionalizantes, com cursos práticos, efetivos, rápidos e com vinculo de empregabilidade".

O sindicalista Clàudio Janta esteve em Encruzilhada do Sul na terça-feira, dia 8 de junho.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Na celebração de Corpus Christi, dia 3 de junho, na Anfiteatro Pôr-do-Sol.
A missa foi conduzida pelo Arcebispo de Brasília, Dom João de Aviz.















quarta-feira, 2 de junho de 2010

Amigos, colegas, companheiros trabalhadores

Hoje, dia 2 de junho, me licencio temporariamente da presidência da Força Sindical para me colocar na condição de pré-candidato a Deputado Estadual nas próximas eleições, pelo PDT.

Esta decisão não é minha, mas da classe trabalhadora que me incentivou a cumprir mais este papel em defesa dos direitos dos trabalhadores, como emprego, qualificação profissional e melhores condições de vida.

Aproveito para deixar uma última mensagem na condição de presidente da Força Sindical: a minha participação do Congresso da Classe Trabalhadores, organizado pelas Centrais Sindicais, e realizado no dia 1º de junho, em São Paulo, no Estádio do Pacaembu.

Na condição de um dos oradores do evento, defendi o fortalecimento do mercado interno, mais empregos e menos impostos, melhores salários, qualificação profissional e melhores condições de trabalho, que pode ser visto no vídeo abaixo.

Um abraço a todos,

Clàudio Janta

Seguimos juntos na luta do novo mundo possivel!

Assista meu pronunciamento na Conclat

terça-feira, 1 de junho de 2010

Conclat

Força Sindical na Conclat

































Clàudio Janta ao lado do presidente da Força Sindical nacional, dep. Paulinho




O presidente da Força Sindical-RS foi um dos primeiros a fazer o pronunciamento no Conclat, na manhã desta terça-feira, dia 1º de junho, no estádio Pacaembu, em São Paulo. “O novo Brasil unindo os trabalhadores”, assim Clàudio Janta iniciou o seu discurso para um público de aproximadamente 30 mil sindicalistas, lideranças e políticos.

Para Janta, o evento é um marco histórico para o movimento sindical que mostra a unidade das Centrais sindicais que lutam pelo mesmo ideal – o trabalhador. “Queremos mais dignidade para os nossos trabalhadores, igualdade de direitos, distribuição de renda, crescimento e o fortalecimento do mercado interno”, destacou para o público.

Clàudio Janta participou do 1º Conclat em 1981, na Praia Grande, evento que iniciou o debates unificado das Centrais com o objetivo de discutir questões específicas e gerais do mundo do trabalho.

O presidente defendeu ainda o fim do fator previdenciário, o reajuste dos aposentados e a redução da jornada de trabalho. “O encontro só vem para fortalecer as nossas ações e lutas pelo bem do trabalhador e definição de agenda e reivindicações da classe voltada para o desenvolvimento com soberania e valorização do trabalho”, conclui.