sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Solidariedade Força Sindica-RS distribui água em comunidades rurais

Janta em Aceguá
Ontem, a entrega de água da Força Sindical-RS ocorreu em Aceguá para seis assentamentos: Santa Vitória, Conquista da Vitória, São José, Jaguarão, Santa Luciana, Conquista do Futuro.

O presidente da Força Sindical-RS, Clàudio Janta, visitou um tambo de leite. A lider e produtora rural Maria Helena Gomes recebeu a comitiva da central. Ela é lider de um grupo que se reuniu para cuidar de gado de alta genética. "Estamos com problema de seca muito grande, enfrentamos um inverno muito rigoroso e agora veio a seca. A gente agradece a Força Sindical, pois a água veio em boa hora para nos ajudar", agradeceu a produtora.

O representante local da Força Sindical-RS, Aristides Costa, afirmou que quem é produtor rural enfrenta muitas necessidades. "A central através do companheiro Janta saiu de sua cidade porque se importa com nossa região. A central tem este carinho conosco e por isso parabenizamos a iniciativa", disse.

Segundo Janta, a intenção é ajudar os lugares mais necessitados de água. "Então em um projeto de solidariedade como já fazemos nos grandes centros com a Força Comunitária. Viemos fazer a nossa parte", disse o presidente da Força Sindical-RS.





Solidariedade Força Sindical-RS distribui água em escola em região de seca do Estado

Janta entrega água para escola
A visita da Força Sindical-RS em Lavras do Sul incluiu a ida até a Comunidade São Sebastião para entregar outra quantidade à Escola Fundamental Risoleta Quadros na terça-feira.

O presidente Cláudio Janta repassou os botijões de água para o diretor e professor da escola, senhor Ubirajara Vieira Azambuja.

"É muito gratificante poder ajudar as pessoa desta região, todos nos receberam muito bem", disse Janta.

A comunidade fica entre Lavras e Bagé e sofre todos os anos com a seca.





quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Solidariedade Força Sindical-RS distribui 2 caminhões de água mineral para a região de seca em Lavras do Sul


A Força Sindical-RS distribuiu 20 mil litros de água em Lavras do Sul nesta terça-feira, em ato de solidariedade com a comunidade local. Lavras do Sul sofre pela falta de água em função da seca na região. A quantia equivalente a dois caminhões cheios de bombonas de água foi entregue pelo presidente da Força Sindical-RS, Clàudio Janta, que esteve na cidade e encontrou lideranças políticas e da comunidade. Na Câmara de Vereadores, a Força Sindical-RS recebeu o agradecimento dos moradores e lideranças do município.

O coordenador das ações da central na região, Aristides Costa, enalteceu a atitude da Força Sindical-RS. "Essa ação é muito importante para nossa região, principalmente para nossos conterrâneos das zonas rurais que tinham que ir longe em busca de um pouco de água", contou.

A reunião na Câmara de Vereadores de Lavras contou com a presença de lideranças, professores, advogados e comunidade em geral.

O presidente do PDT da cidade, Airton Jardim, falou que a Força é um exemplo para as entidades da sociedade."É com imensa satisfação que agradecemos a iniciativa da Força Sindical de trazer este beneficio para nossa cidades. Agradeço profundamente", disse.

Já o diretor da Rádio Pepita, Sávio Prestes, ao agradecer, falou das agruras pelas quais a comunidade passa por causa da seca na região."Neste momento que vemos a Força Sindical trazendo um bem tão precioso como água potável para esta comunidade que sofre com a seca temos que agradecer. Este gesto vai beneficiar muita gente. Ter um compromisso com o próximo é um ato muito bonito", refletiu.

Na mesma linha, o vereador Ricardo Martins (PDT) disse que a comunidade de Lavras está muito agradecida pela ajuda, que é um conforto para quem vive os problemas da falta de água.

Para o presidente da Força Sindical-RS, Clàudio Janta, a iniciativa de ajudar deve ser uma missão de todos e que ações como essa têm sido encampadas pela central em nível nacional.

"A iniciativa partiu da Força Sindical Nacional quando pediu para que nós da central estadual ajudássemos o Rio de Janeiro. Sabemos que nosso Rio Grande do Sul também está necessitando de ajuda, então resolvemos nos solidarizar com nosso povo que vem sofrendo com a seca e falta de água potável", explicou.

Além da solidariedade com as cidades vítimas de problemas ambientais, Janta lembrou do apreço que tem por Lavras do Sul e do quanto a contibuição foi significativa para a Força Sindical-RS.

Evento Força Sindical-RS divulga programação do 3° Seminário sobre a Faixa de Fronteira do Mercosul

Janta observa a exposição de fotografias que haverá no seminário
O evento em 2011 ocorrerá entre os dias 23 e 26 de março na cidade de Uruguaiana, na Fronteira Oeste do Estado. Além de painéis temáticos, será inaugurada a Mostra Fotográfica “O Olhar dos Trabalhadores sobre o Bioma Pampa”, com imagens do ecossistema retratadas por fotógrafos da Força Sindical-RS. Segundo um dos organizadores do evento, o presidente da Força Verde, Lélio Falcão, este ano são esperados mais visitantes em função da ampla programação do seminário internacional.
Maiores informações pelo fone (51) 3254-5540 ou email imprensa@fsindical-rs.org.br.


Acompanhe a programação completa:

Quarta-feira, 23 de março - Câmara de Vereadores:

18h00 – Início de Credenciamento

19h30 – Inauguração de Mostra Fotográfica “Um Olhar dos Trabalhadores sobre o Bioma Pampa”

Quinta-feira, 24 de março – Câmara de Vereadores:

09h00 – Abertura Oficial do 3º Seminário, com Autoridades.

09h30 – Painel I – Trabalho na Fronteira

14h00 – Painel II – Emprego e Energia

Sexta-feira, 25 de março – Câmara de Vereadores:

09h00 – Painel III – Audiência Pública da ALRS – Vivificação da Fronteira

14h00 – Painel IV – Universidades Integrando a América Latina

17h00 – Encaminhamentos, Aprovação da Carta de Uruguaiana 2011.

Sábado, 26 de março – Visitas Técnicas.

Esporte Atleta sogipano apoiado pela Força Sindical-RS disputa prova em Assunção

Representante no Sulamericano de Cross Country apoiado pela Força Sindical-RS, o sogipano Ioran Fernandez Etchechury, 18 anos, embarca hoje para Assunção, Paraguai, onde será realizada a competição.

O atleta foi campeão sulamericano Sub 18 em 2010 e conforme declaração de seu treinador, Leonardo Ribas, a disputa promete: “É uma categoria nova, sub 20 anos, ainda não conhecemos os adversários dessa faixa etária, mas Ioran está bem, treinando bem e será muito competitivo", disse.


O torneio acontece no domingo, dia 20.

Coesão Secretário de Relações Internacionais da Força destaca união e autonomia das centrais


Dois dias após a votação do salário mínimo no Congresso, semana na qual as centrais sindicais marcaram presença e fizeram intensa mobilização em Brasília, fica como saldo altamente positivo a união e a coesão apresentada pelo movimento sindical na hora de reivindicar pelos trabalhadores e buscar negociar com o governo federal.

O secretário de Relações Internacionais da Força Sindical, Nilton Neco, atribui os avanços da classe trabalhadora no Brasil à união das centrais e à capacidade de diálogo com a população.

A questão da pressão do governo sobre os parlamentares para aprovar o salário mínimo demonstrou o papel importante que o movimento sindical tem na sociedade e vem desempenhando nos últimos anos, demonstrando força em ações e atividades.

“O mais importante é a unidade do movimento brasileiro, isso é que mostra para a sociedade, o próprio governo e o Congresso nacional que os trabalhadores estão juntos. É interessante para nós porque se estivéssemos divididos nas ações dessa semana com certeza a sinalização para o governo e para a sociedade seria de que o movimento sindical estaria enfraquecido, o que atingiria mais ainda o direito dos trabalhadores”, diz Neco.

A partir do momento em que as centrais manifestam união nas situações mais críticas, há fortalecimento das bandeiras sindicais para a luta em mais batalhas, como a votação do mínimo na próxima quarta-feira no Senado, a correção da tabela do IR, entre outras, que vão acontecer logo em seguida.

Outro ponto destacado pelo sindicalista é a independência e a maturidade do movimento sindical brasileiro.

“Havia indicações de que estaríamos mais governistas em função de ser um governo popular, mas isso não se concretizou e não impediu que o movimento sindical trave sua luta em benefício dos trabalhadores provando que tem independência”, afirma.

A coesão das centrais traz vantagens para o trabalhador e as batalhas continuarão - especialmente as que envolvem a luta pelas 40 horas, a qualificação profissional e reajustes dignos para os trabalhadores. Neco avalia que nestes próximos anos de governo, o movimento atinja um grau maior ainda de união. “Nossas reivindicações não pararam na questão do mínimo e a mobilização seguirá firme em todo o Brasil”, conclui.

Conferência do Bioma Pampa Evento entra no Calendário Oficial de Santana do Livramento


Em novembro deste ano, a Força Sindical-RS, presidida pelo sindicalista Clàudio Janta, estará realizando mais uma edição da Conferência Internacional do Bioma Pampa, na fronteira Livramento/Rivera. O evento, que há cinco anos vem reunindo líderes políticos, educacionais, empresariais, sindicais e da sociedade civil organizada dos três países onde se encontra o Bioma Pampa (Argentina, Brasil e Uruguai), para discutir temas de vital importância para o desenvolvimento sustentável da região, já faz parte do Calendário Oficial de Eventos do município, conforme projeto protocolado no Legislativo Municipal, pelo vereador Batista Conceição (PSB).

Com isso, o vereador santanense atende solicitação da Força Sindical RS, representada pelo presidente da Força Verde e coordenador da Conferência Internacional do Bioma Pampa, Lélio Falcão, que esteve visitando a fronteira na última terça-feira.

Nas quatro edições anteriores da conferência, foram avaliadas as legislações pertinentes nos países integrantes do Mercosul, onde ocorre o Bioma Pampa; estabelecidos vínculos acadêmicos entre as Universidades públicas e privadas existentes na área de abrangência do Bioma Pampa, além de incluídas na pauta de discussões políticas na esfera do Parlamento do Mercosul, as questões pertinentes a região. As moções resultantes destas edições foram encaminhadas a diversos setores do governo estadual e federal e, especialmente ao Parlamento do Mercosul.

“Considerando o Tratado de Assunção, que criou o Mercosul, entendemos importante o conhecimento das principais atividades produtivas dos países integrantes do bloco onde temos a ocorrência do Bioma Pampa, tanto as tradicionais, como as que o futuro possa nos propiciar, garantido qualidade de vida aos seus habitantes”, esclarece o coordenador Lélio Falcão, enfatizando também que é importante o estudo e a proposta de atualização das legislações ambientais, trabalhistas e outras que possam e devam ser equalizadas para que não ocorram desequilíbrios entre os componentes do bloco econômico latino-americano em implantação.

“E, com a proximidade da Cúpula da Terra de 2012, no Rio de Janeiro, é importante traçar planos e metas para apresentar o Bioma Pampa de forma que contemple os interesses sociais, políticos, econômicos e ambientais de quem nele vive”, justifica.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Debate Presidente da Força Sindical-RS participa hoje, 22h, do Conversas Cruzadas


O presidente da Força Sindical-RS, Clàudio Janta, é um dos convidados do Conversas Cruzadas de 17/02/2011 às 22h, na TVCom (canal 36). O programa tratará de desenvolvimento econômico, trabalho, corte da União, falta de mão de obra no Rio Grande do Sul, mínimo nacional e regional, entre outros assuntos econômicos em discussão.

Janta estave em Brasília na quarta-feira e acompanhou a votação sobre o mínimo nacional na Câmara dos Deputados. Na próxima quarta-feira, quando o mínimo nacional for votado no Senado, o presidente da Força Sindical-RS estará em Brasília novamente pressionando por um salário justo aos trabalhadores.

Qualificação profissional Força Sindical-RS inicia projeto de qualificação profissional em Santana do Livramento


Sérgio, Batista e Lélio

Sérgio Moreira, presidente da Câmara de Vereadores, pediu e a Força Sindical-RS inicia o projeto para a criação de cursos de formação de mão de obra no Município


O diretor da Força Sindical RS e presidente da Força Verde, engenheiro civil Lélio Falcão, foi recebido pelo presidente da Câmara de Vereadores de Santana do Livramento, vereador Sérgio Moreira, acompanhado do vereador Batista Conceição, durante visita semana passada para iniciar as tratativas de criação de curso de qualificação profissional no município.


“Não podemos ficar de braços cruzados enquanto operários de outros municípios e estados tomam nossos postos, enquanto nossa gente sofre com o desemprego pela simples razão de não haver mão de obra qualificada na cidade”, disse o presidente da Câmara, ao mesmo tempo em que enalteceu a atenção da Força Sindical do Rio Grande do Sul, do seu presidente Clàudio Janta e do diretor Lélio Falcão, que atendeu seu pedido de ajuda.

“Nós temos um projeto elaborado que, além de proporcionar a tão desejada qualificação profissional , também resolverá a questão da falta de moradia”, informou Lélio, colocando à disposição do presidente Sérgio Moreira e do município muito mais do que cursos, mas uma proposta de elevar a auto estima das comunidades carentes.

Antes de divulgar em detalhes o projeto de Livramento, Lélio Falcão quer, junto ao presidente da Câmara, levá-lo a conhecimento do prefeito Wainer Machado e de seus secretários. “Para dar a formatação final ao projeto, precisamos do aval do Executivo e do Legislativo, pois só terá êxito se houver uma parceria coesa, unida num único objetivo: proporcionar melhor qualidade de vida aos santanenses, com oportunidade de renda e moradia digna”, disse Lélio Falcão.

A Força Sindical-RS aproveitou a oportunidade para entregar a “Carta de Sant’Ana” ao presidente Sérgio Moreira, confeccionada durante a quarta edição da Conferência Internacional do Bioma Pampa, realizada em Santana do Livramento e Rivera, em novembro de 2010, e também para divulgar a quinta edição do evento, que será realizado nos dias 7 e 8 de novembro de 2011.

Em reunião na Câmara de Vereadores de Livramento, na sexta-feira, foi aprovada a inclusão no Calendário Oficial de Eventos do município a 5ª Conferência Internacional do Bioma Pampa.

Mobilização Força Sindical-RS reunida em SP para ato pelo mínimo de R$ 580


Hoje ocorreu uma reunião da Executiva Nacional da Força Sindical em São Paulo entre vários sindicalistas do país que estão mobilizados pelo mínimo de R$ 580. O encontro serviu para montar a estratégia para a votação do salário mínimo, que deve ocorrer essa semana. Diretores e sindicalistas da Força Sindical-RS já estão na capital paulista, onde articulam a pauta de reivindicação, e depois seguem para Brasília.

O presidente da Força Sindical-RS, Clàudio Janta, deve ir para São Paulo no encontro com Paulinho da Força, presidente nacional da central. O diretor Luis Carlos Barbosa e o secretário de Relações Internacionais da Força, Nilton Neco já se encontram em São Paulo.

O governo já anunciou que irá enviar um projeto de lei sobre o novo valor do salário mínimo nos próximos dias, com previsão de ser votado em sessão extraordinária amanhã.

A estimativa dos trabalhadores é que centenas de pessoas se dividam entre a ala das comissões e o salão verde, por onde deputados e senadores mais circulam, para fazer a abordagem de “sensibilização” sobre a necessidade de um salário mínimo maior que o pretendido pelo governo.

“Vamos dialogar com os parlamentares sobre a importância de um salário mínimo digno no processo de distribuição de renda no País”, ressalta o presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho.

Trabalho Decente Força Sindical-RS participa de reunião do GT da Agenda Nacional de Trabalho Decente em Brasília


O diretor da Força Sindical-RS e presidente da Força Verde, Lélio Falcão, participa hoje da reunião do Grupo de Trabalho Tripartite da Agenda Nacional de Trabalho Decente.

O encontro ocorre nas dependências do Ministério do Trabalho e Emprego em Brasília – DF.

Além da Força Sindical-RS, participam as outras cinco centrais sindicais que compõem o Grupo de Trabalho Tripartite de Emprego e Trabalho Decente que estiveram reunidas na sede da UGT Brasília, para discutir o regimento interno da I Conferência Nacional de Emprego e Trabalho Decente (I CNETD) – que será realizada no próximo ano. A reunião discutiu estratégias de atuação no grupo tripartite.

Entre os meses de abril e outubro, os 26 estados brasileiros e o Distrito Federal deverão realizar as Conferências Estaduais de Emprego e Trabalho Decente, que são indispensáveis para a indicação dos delegados que vão participar da I CNETD, entre 2 a 4 de maio de 2012. O objetivo das centrais é organizar a presença dos trabalhadores nestas etapas.

Cada unidade da Federação constituirá uma Comissão Organizadora, que deve ser formada por representantes do governo, dos trabalhadores e empregadores. O grupo vai definir a agenda, elaborar e aprovar o regimento interno e organizar a realização da Conferência Estadual, atendendo aos aspectos técnicos, políticos e administrativos previstos nos documentos da I CNETD.

I CNETD - A I Conferência Nacional de Emprego e Trabalho Decente tem por finalidade a promoção de um amplo debate sobre as políticas públicas de trabalho, emprego e proteção social.

Eleição Sindisaúde de Uruguaiana apóia vitória da nova diretoria do Sindisaúde de Bagé


Renato Correa
O presidente do Sindisaúde de Uruguaiana, Renato Correa, que também é Secretário de Saúde da Força Sindical-RS, elogiou a disputa eleitoral que reelegeu Maria Conceição Prestes como presidente do Sindisaúde de Bagé. Ele acompanhou todo o processo e apoiou a realização do pleito, assim como o presidente Clàudio Janta. Segundo Renato, essa eleição ficou marcada pelo maior profissionalismo da situação (chapa 1), já que é a primeira concorrência após a filiação do sindicato à Força Sindical-RS, que ocorreu em dezembro.

“Vencemos a oposição de outra central adversária, ganhamos em todas as urnas, inclusive no maior colégio eleitoral, que é na Santa Casa de Bagé e que era o foco principal da oposição”, contou Renato.

O diferencial da chapa 1 e que levou à vitória foram as propostas apresentadas e a própria filiação à Força Sindical-RS. “Vínhamos trabalhando com a Conceição (nova presidente) e divulgando a filiação junto à categoria. Além disso, obtemos muitos resultados positivos nas negociações coletivas, o que também aumentou a mobilização a partir da filiação”, afirmou.

A filiação à Força Sindical-RS oferece maior suporte e transparência no cumprimento da legislação eleitoral. “Fizemos uma campanha muito boa, de propostas sem ataque, ao contrário da oposição. Apresentamos um relatório do que foi feito nos quatro anos anteriores e propostas para um novo mandato”, completou.

Dentre as metas para a nova gestão, está propor para a Força Sindical-RS a realização de um seminário dos sindicatos de saúde da Fronteira Oeste para discutir propostas comuns e criar uma pauta com a central. “Até para fortalecer a secretaria e o setor, é uma proposta dentro do planejamento da secretaria para 2011”, concluiu.

Eleição Chapa 1, apoiada pela Força Sindical-RS, vence eleição do Sindisaúde de Bagé

Apuração dos votos
A chapa 1, apoiada pela Força Sindical-RS, foi a vencedora das eleições no Sindisaúde de Bagé na última sexta-feira. O presidente da Força, Clàudio Janta, esteve no município junto com diretores da central e acompanhou o processo eleitoral que reuniu outros sindicatos de diferentes categorias e a Federação dos Comerciários do Rio Grande do Sul. A presidente reeleita do Sindisaúde de Bagé é Maria Conceição Caldeira dos Santos Prestes, auxiliar de enfermagem.

Estiveram presentes também membros do Sindicato dos Vigilantes de Pelotas, Sindimercosul, Sindicato dos Comerciários de Quaraí, Sindisaúde de Uruguaiana, Sindec de Porto Alegre e de Alvorada, além da Fetracos.

A chapa 1 – “Transparência, Força e Luta” - teve mais de 55% dos votos válidos e a chapa 2 ficou com 42,3%. “A votação foi muito tranqüila, não houve nenhum incidente”, diz Conceição.

Segundo a presidente reeleita, o objetivo da gestão é trabalhar em defesa da categoria. “Nossa luta quer manutenção e ampliação dos diretos trabalhistas. Temos como proposta geral ainda a luta unificada com demais centrais e movimento sindical nacional, contra o sucateamento da saúde pública e as reformas que venham tirar direitos dos trabalhadores, como a previdenciária”, enumera a presidente.

Sobre o apoio das demais categorias de trabalhadores e da Força Sindical-RS ao Sindisaúde de Bagé, a nova diretoria ressaltou a união como principal ingrediente de luta. “A participação da Força Sindical-RS foi fundamental porque é necessário. A luta solitária não existe, as batalhas individuais não existem, se constroem com o apoio dos companheiros que tiveram aqui nos dando força e trabalhando de uma forma ou de doutra, mas todos unidos”, aponta Conceição.

O presidente Clàudio Janta, da Força Sindical-RS, destacou esta eleição em Bagé especialmente porque os profissionais da Saúde são trabalhadores muito exigidos e de suma importância para a sociedade. Além disso, Janta mencionou como muito positivo que o Sindisaúde de Bagé esteja agregado à Força Sindical-RS, fato que ficou comprovado com a ampla participação e integração dos membros do sindicato com os membros da central. “Parabenizamos o trabalho realizado pela chapa 1 e a sua vitória, que foi merecida. Lutaremos juntos pelas 30 horas, podem contar com a Força Sindical”, afirmou o presidente.

As principais metas da nova diretoria são: regularização das 30 horas semanais, sem redução do salário; melhores condições de trabalho; fechar acordo salarial que tenha aumento com ganho real da inflação; combate a qualquer tipo de discriminação imposta aos trabalhadores como assédio moral e sexual dentro das empresas; lutar por um sindicato independente e autônomo.

Conceição agradeceu também Vera Lucia Silva e Arlindo Ritter, presidente da
ASERGHC ( Associação dos Servidores do Grupo Hospitalar Conceição), que representaram a entidade na eleição e apoiaram a chapa 1.

A eleição começou às 7h da manhã e terminou às 20h, com a disputa entre duas chapas. A chapa 2, oposição, era comandada pelo presidente da Federação dos Empregados da Saúde do RS (Feessers), Milton Francisco Kempfer.

1-MARIA CONCEIÇÃO CONCEIÇÃO SANTOS PRESTES- Presidente, Aux. em Enfermagem.

2- ANA LUCIA GEISLER MACIEL- 1º Vice- Presidente, Aux. de Serviços Gerais.
3- MILTON DE PAULA MACIEL- 2º Vice - Presidente, Aux. de Lavanderia,
4- RAFAEL PALMA RODRIGUES- 1º Secretária, Telefonista e Radio-operador.
5- ROSANGELA SOARES PEREIRA GONÇALVES- 2ª Secretária, Técnica de Enfermagem
6 - GLADIS MARIA DOS SANTOS- 1º Tesoureira, Téc. em Enfermagem,
7-SONIA EMILIA GASSO PERES- 2º Tesoureira, Aux. em Enfermagem,
8-LISIANE TEXEIRA MACHADO- Diretora SocialTéc. em Enfermagem,
9- MARIA DE FÁTIMA CORRÊA- Diretor Representante dos Trabalhadores, Aux. de Enfermagem,
10-RICARDO CABREIRA SOARES- Diretor de Formação Sindical, Aux de Serviços Gerais,

DIRETORIA SUPLENTE:
ANDREOS FUNARI DOS SANTOS-, Téc. em Enfermagem;ANDERSON COSTA DA SILVA,AUX. de Serviço Geral;CRISTIANO VALDEMIR MARTELLI PATSCH,Téc. em Enfermagem;MARILENE ALVES SILVA, Téc. Enfermagem; MELISSA TATIANA GOULART, Téc. Enfermagem,
RAFAEL DUARTE MENEZES, Téc. de Enfermagem,MARILENE SILVA DA ROSA- Administrativo;JORGE MARIO DA SILVA CORRÊA,Vigia
SUZI MARA BARBOSA DA SILVA,Téc. Enfermagem; ADRIANA PINTO JACINTO,Aux. Enfermagem;GERSON SANTO LOPES DOS SANTOS, Aux. de Serviço;
CONSELHO FISCAL: MARIA GLADIS DOS SANTOS FLORES, Aux. Enfermagem;REGINALDO DE ORNELAS GARCIA, Aux.Serviço Gerais;
NADIR SEVERO DOS REIS, Téc. de Enfermagem;

CONSELHO FISCAL SUPLENTE: RICARDO GOULARTE PETAVRAS,Tec. em Enfermagem;CIBELE BONNEAU SILVA,Copeira; SONIA SOLER LOPES MICIEL,Téc. em Enfermagem;

DELEGADOS JUNTOS À FEDERAÇÃO: Efetivos:MARIA CONCEIÇÃO CONCEIÇÃO SANTOS PRESTES;ANA LUCIA GEISLER MACIEL;
SUPLENTES DE DELEGADOS JUNTO À FEDERAÇÃO:MARIA MADALENA GONÇALVES DE GONÇALVES,Aux. Enfermagem; CATARINA MOREIRA ALVES, Agente Comunitária de Saúde.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Evento Força Verde e Prefeitura de Uruguaiana articulam organização do Seminário Faixa de Fronteira


Rogério, Sanchotene e Lélio
O diretor da Força Verde, Lélio Falcão, encontrou o prefeito de Uruguaiana, Sanchotene Felice, ontem à tarde para tratar do 3º Seminário Internacional da Faixa de Fronteira. As articulações para a organização do evento, que ocorre na segunda quinzena de março, já estão em andamento.

Na ocasião ficou confirmado o apoio da Prefeitura Municipal de Uruguaiana na realização do evento. Nas edições anteriores, o seminário levou a Uruguaiana o senador Sérgio Zambiazi (PTB), a hoje senadora Ana Amélia Lemos (PP), o então deputado federal Cláudio Diaz (PSDB) e mais de uma dezena de deputados estaduais, com destaque para o deputado Frederico Antunes (PP), que é natural de Uruguaiana.

Na Câmara de Vereadores, o presidente do Legislativo, vereador Ronnie Petersin Colpo Mello (PP), recebeu a Força Verde, acolhendo ofício e informando que o mesmo deverá ser aprovado já na primeira sessão legislativa.

"A iniciativa da Força Sindical foi muito bem recebida e os temas propostos para este ano mais uma vez são de grande interesse", diz Lélio.

Nos dois momentos, o presidente da Força Verde foi acompanhados pelo veredaor Rogério Morales, que juntamente com o diretor da Força Sindical Renato Corrêa, é articulador local do evento.

Solidariedade Força Sindical-RS doa roupas e calçados para vítimas da enxurrada em Cachoeirinha

Doações no saguão da Igreja Evangélica de Cachoeirinha
A Força Sindical-RS realizou a doação de roupas e calçados para as vítimas da enxurrada que atingiu a população de Cachoeirinha. Através da diretora da Força Comunitária, Laura Machado, foram entregues mais de 200 sacolas contendo roupas e calçados aos moradores do bairro Princesa Isabel, que sofreram com a chuva da última semana, quando um arroio na região transbordou.

A doação foi entregue na terça-feira no Esporte Clube Juventude de Cachoeirinha e na Igreja Evangélica.Segundo Laura, a população ficou muito agradecida pela ajuda, mas ainda precisa de colchões e produtos de limpeza.

Assim que o presidente da Força Sindical-RS, Clàudio Janta, esteve no local, no outro dia as doações foram enviadas a Cachoeirinha. Fato que foi elogiado pelos moradores em função da brevidade em que foram auxiliados pela entidade.

Janta visitou a comunidade e acionou imediatamente a Força Comunitária para que começasse a arrecadar donativos. Muitas vítimas das chuvas perderam todos os móveis e o que tinham dentro de casa.

FSM - Secretário de Relações Internacionais da Força participa de café da manhã com maior central sindical do Senegal


O secretário de Relações Internacionais da Força Sindical, Nilton Neco, participa do Fórum Social Mundial 2011, em Dacar, no Senegal desde o último domingo. O evento, que vai até a próxima sexta-feira (6), reúne dezenas de ONGs, sindicalistas e líderes políticos.

Ontem, Neco integrou reunião da delegação da Força Sindical. O encontro, um café da manhã, ocorreu com a maior central do Senegal, a CNTS (National Confederation of Senegalese Workers)

Os principais assuntos tratados na mesa foram cooperação internacional e diálogo social.

Piso regional - Centrais apresentam a pauta do reajuste do piso ao presidente da Assembleia


Presidente da CUT, Celso Woyciechowski; presidente do Legislativo, Adão Villaverde; e o diretor da Força Sindical-RS, Luis Carlos Barbosa
A proposta de reajuste do piso regional em 17,33% foi protocolada pelas centrais sindicais hoje na Assembleia Gaúcha. Os sindicalistas foram recebidos pelo presidente do Legislativo, Adão Villaverde (PT). As centrais agradeceram a receptividade e apresentaram a reclamação de não haver equipamentos disponíveis na sala do Fórum Democrático no momento em que houve reunião para estabelecer a entrega da pauta.
Após o presidente da Assembleia se desculpar, o encontro seguiu amistosamente com a apresentação da pauta do reajuste e o pedido de que volte a ter respeitada sua equiparação com o salário mínimo nacional.
Embora o projeto de reajuste deva tramitar do Executivo para o Legislativo, os sindicalistas pediram o apoio de Villaverde nos debates que serão realizados com os deputados e empresários na Assembleia na aprovação do índice. Líderes sindicais argumentaram que o piso precisa de uma política de recuperação permanente para cessar perdas que se acumularam principalmente nos últimos dois anos.
O mínimo regional beneficia mais de 1 milhão de trabalhadores no Rio Grande do Sul, entre calçadistas, domésticas, agricultores e serviços gerais.
“Queremos uma política de Estado permanente para o piso regional. Os dados do Dieese apontam para essa necessidade”, afirmou o diretor da Força Sindical-RS, Luis Carlos Barbosa, que agradeceu a agilidade com que os sindicalistas foram atendidos no pedido de encontro com Villaverde.
O presidente da CUT-RS, Celso Woyciechowski, disse que o reajuste tem fundamentação muito grande porque o Estado está em ciclo econômico positivo.

O presidente da Assembleia destacou a importância do tema para o Legislativo e o Estado. “Sabemos que é um instrumento importante para o poder de compra do trabalhador”, disse. Ele garantiu que oficiará a proposta com as mesas e lideranças dos partidos para conhecimento de todos o mais rápido possível. “A Casa está aberta ao debate e as comissões à disposição das centrais”, ressaltou.
Villaverde também elogiou a antecipação das centrais em se mobilizarem, debaterem o tema e levarem para a Assembleia. “Esse debate ajuda, inclusive, a recuperar o papel do Legislativo nos assuntos que mais interessam aos gaúchos”, finalizou.

Piso regional - Centrais entregam proposta de reajuste do piso em 17,33% ao governador do RS

Barbosa, primeiro da esq para a dir, e Tarso no fundo ao meio
As centrais sindicais entregaram a proposta de reajuste do piso regional em 17,33% para o governador Tarso Genro na tarde desta terça-feira no Palácio do Piratini. O documento, além da proposta, dos índices e da justificativa para o reajuste, representa o consenso das seis centrais gaúchas em propor a recuperação do piso regional e sua equiparação com o salário mínimo nacional. Tarso recebeu o documento e se disse receptivo a apoiar “propostas brandas”.

O diretor da Força Sindical-RS, Luís Carlos Barbosa, disse que as negociações foram abertas e que o Piratini demonstrou vontade em manter diálogo direto com o movimento sindical, algo que esteve dissociado do governo estadual por algum tempo.

Conforme o supervisor do Dieese, Ricardo Franzoi, para um movimento que ficou oito anos solicitando audiência com o governo e não tinha resposta, o encontro do governador com os sindicalistas foi muito importante. Embora Tarso não tenha tocado em números, disse que na proposta do governo, desde a campanha, o salário mínimo regional é uma preocupação e que cumprirá com a promessa de valorizá-lo e de iniciar a recuperação do piso. “Estamos otimistas e esperamos que o reajuste supere o que vinha sendo aplicado nesses últimos oito anos, que era um reajuste baseado na inflação”, afirmou Franzoi.

Sobre as negociações com o empresariado, a expectativa é que os empresários enviem alguém para negociar com os trabalhadores, já que se tem um ambiente econômico favorável para o reajuste salarial. O ambiente para o diálogo é considerado também mais favorável. “Mesmo quando houve a discussão na Assembleia e na Casa Civil, os empresários se negaram a conversar em 2000 e 2001”, lembrou.

Franzoi destacou que é importante nos processos democráticos ter as argumentações dos trabalhadores e dos empresários, com os deputados e o governador, a fim de que se tenha uma definição a partir do que alegam as duas partes.

As centrais serem recebidas mais cedo neste ano pelo governador foi o ponto mais positivo deste início de negociação pelo piso regional. O diretor da Força Sindical-RS, Luís Carlos Barbosa, acredita que este primeiro momento de apresentação de reivindicação das centrais acontece tendo em vista o currículo de Tarso e sua preocupação com os trabalhadores.

“Temos tudo para estabelecer uma política permanente de recuperação do piso regional”, ressaltou Barbosa. Para ele, a forma que esse processo ocorrerá vai gerar muito debate.

Hoje uma reunião com os empresários chegou a ser proposta para aproximar o setor da discussão. A base favorável ao governo na Assembleia é vista também como um ponto forte para aprovação de um reajuste melhor para os trabalhadores e de uma política permanente do piso regional e nacional, no sentido de transferir ganhos políticos para o Rio Grande do Sul.

João Alberto Fernandes, vice-presidente da CGTB, relembrou que na campanha eleitoral Tarso tinha um plano de governo que incluía a recuperação do salário mínimo regional. “O governo tem o entendimento de que o piso fortalece os trabalhadores, a indústria e o comércio, porque faz com que o dinheiro circule voltando na forma de impostos, mais consumo e na produção e novas indústrias”, enumerou Fernandes.

O viés popular do governo para valorizar o trabalhador foi destacado por Gelson Santana, diretor de organização da NCTS, a partir da reunião com Tarso. “Começou bem, é por aí que esperamos recuperar o piso com o governador comprometido com os trabalhadores”, garantiu.

Para Paulo Brack, presidente da UGT, a reunião de hoje demonstra a mudança de gestão que está no Palácio Piratini com o novo governo. “As portas se abriram para as centrais sindicais, fomos bem recebidos pelo governador, o que demonstra a boa vontade em receber a opinião e a sugestão dos trabalhadores gaúchos”, disse.

Os sindicalistas saíram com a certeza de que assim que o projeto do governo estiver pronto, chamará as centrais para a apresentação de um plano que será enviado à Assembleia para então começar o debate junto aos deputados a fim de conscientizá-los da importância do piso regional para a categoria e no incremento para a economia do Estado.

Enoí León, assessor da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag) que representou a CTB, acredita que 2011 é a oportunidade de recuperar ao menos parte do que se perdeu do piso nos últimos anos. Dentre os motivos, destacou que o salário mínimo nacional não subiu tanto, então, se o piso regional subir um percentual maior, não haverá grande impacto como teria em outras ocasiões, além disso o atual governo é mais aberto ao diálogo e o seu partido foi que criou o piso.

Após a reunião com Tarso, os sindicalistas se dirigiram para a Assembleia Legislativa, onde às 16h tiveram uma audiência de apresentação da pauta ao presidente Adão Villaverde.

Governo estadual - Para Janta, sistema de desenvolvimento do RS é positivo, mas falta qualificar trabalhador

Janta e Tarso
O governador Tarso Genro apresentou hoje pela manhã as diretrizes do sistema de desenvolvimento do Estado de seu projeto de governo a autoridades, políticos e líderes sindicais no Palácio Piratini. O presidente da Força Sindical-RS, Clàudio Janta, esteve no cerimonial e avaliou como positivo os pontos divulgados pelo novo governo, tais como políticas ativas de desenvolvimento econômico como centro de políticas públicas, ações coordenadas com setor privado, definição de ações prioritárias e interlocução direta com o governo federal.

No entanto, Janta considera que falta tratar da questão do trabalhador e da qualificação profissional na efetivação dos planos de desenvolvimento do Rio Grande do Sul.

Tarso explicou que, após a etapa apresentada hoje, o governo entra em um segundo momento. “Estamos com bom desempenho em termos de efetividade”, disse Tarso, prometendo relacionar demandas empresarias com as demandas do trabalho, de acordo com interesses da sociedade.

Para o presidente da Força Sindical-RS, a premissa de descentralizar as políticas públicas e incluir parcerias com o setor privado é interessante e necessária ao Estado, porque saí de um eixo de riqueza estabelecido. O que ainda falta, segundo Janta, é desenvolver outras regiões como a Fronteira Oeste.

"Esperamos descentralizar a riqueza do Estado e o desenvolvimento. E isso está no projeto, embora os trabalhadores não apareçam como parte relevante das diretrizes. Agentes como empresários e o cooperativismo aparecem nos planos de governo, mas não estão contemplados espaços para os trabalhadores e as representações dos trabalhadores no sistema", afirmou Janta.

A expectativa é que o governo se disponha a ouvir o movimento sindical, uma vez que já ficou constatado em governos anteriores que os projetos vêm para o Estado. O problema é que a mão de obra do trabalhador não passa por processos de qualificação, faltando pessoas preparadas para o trabalho. "A gente espera ser ouvido, temos projetos para contribuir com o desenvolvimento do Estado e o que foi apresentado hoje", garantiu Janta. Faltam trabalhadores capacitados para a indústria e o Pólo Naval, por exemplo, uma das prioridades do governo.

Para o movimento sindical, antes de fazer investimento, o governo precisa preparar as regiões e os trabalhadores para receber os avanços já que os trabalhadores são os principais interessados e agentes no desenvolvimento do Estado.

Governo estadual Vice-presidente da Força Sindical-RS, Walter Fabro, recebe regimento do CDES


O vice-presidente da Força Sindical-RS, Walter Fabro, recebeu na manhã desta segunda-feira o regimento de funcionamento do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), a ficha com informações e a posição e visão social requeridas das entidades das mãos do secretário Executivo do CDES, Marcelo Danéris. A entrega, simbólica, começou com a certificação de dois sindicalistas e dois empresários.

O assessor técnico do conselheiro Walter Fabro é o economista Mário Lima, assessor da Força Sindical-RS, que também participou da solenidade. "São informações fornecidos pelo conselho e também informações que vamos repassar sobre a instituição de qua fazemos parte, no nosso caso a Força Sindical-RS, mais o currículo dos integrantes do conselho", esclareceu Fabro.

O sindicalista contou que futuramente o conselho terá mais 10 conselheiros, ficando em 90 integrantes, mesmo número do conselho criado pelo então presidente Lula quando estava no governo federal.

Hoje também foram convocados os integrantes da entidade para a primeira reunião de trabalho, que será realizada no dia 15 de março. Entre os temas a serem tratados inicialmente estão o modelo dos pedágios, pacto pela educação, ações para o desenvolvimento regional.

FSM - Delegação de sindicalistas da Força participam de encontro com o ex-presidente Lula

A delegação dos comerciários que também fazem parte da delegação da Força Sindical participou dos atos de abertura do Fórum Social Mundial 2011 em Dacar, no Senegal. O objetivo dos participantes brasileiros é que neste fórum as discussões sejam aprofundadas. Os focos de debate abordam o Trabalho Descente e a solidariedade efetiva entre as nações.
Hoje, a delegação participa de um encontro com o ex-presidente Lula durante o fórum.

FSM - Fórum Social Mundial 2011 começa em Dacar com a tradicional marcha

O Fórum Social Mundial 2011 começou ontem em Dacar no Senegal. O evento conta com a participação da delegação de comerciários brasileiros, muitos integrantes também da delegação da Força Sindical.
Os comerciários presentes representaram a Secretaria Nacional dos Comerciários filiado (Setraconservi) durante a marcha de abertura do FSM pelas ruas de Dacar.
Segundo o presidente do Sindec e secretário de Relações Internacionais da Força Sindical, Nilton Neco, a expectativo dos organizadores é grande sobre a qualidade das discussões que acontecerão durante o evento. "Aqui está a esperança de construir um outro mundo possivel para a classe trabalhadora", definiu Neco.

Piso regional - Centrais sindicais reivindicam reajuste de 17,33% no piso regional

Correa, segundo da esq para a dir
As centrais sindicais gaúchas definiram em reunião nesta sexta-feira o índice de 17,33% de reajuste do piso regional a ser pleiteado pela categoria dos trabalhadores junto ao Legislativo. As seis centrais – Força Sindical-RS, CUT, CGTB, NCST, CTB e UGT estiveram reunidas na sede da CUT em Porto Alegre com o técnico do Dieese, Ricardo Franzoi.

Além do piso, a reunião serviu para traçar os rumos da campanha estadual pelo piso regional e a agenda unificada de atividades. O índice de 17,33% corresponde à média do PIB dos últimos dois anos, do Estado e do país, acrescido do INPC acumulado dos últimos 10 meses, mais um percentual do acúmulo da perda do piso regional, desde sua criação, em 2001. Essa recuperação do valor histórico será dividida em duas parcelas.

Na próxima terça-feira, haverá concentração de sindicalistas na Assembleia Legislativa às 13h. Logo depois, às 14h, está prevista uma audiência com o governador Tarso Genro e às 16h a pauta será protocolada pelas centrais na Assembleia, em reunião com o presidente do Legislativo, deputado Adão Villaverde.

O diretor da Força Sindical-RS Cláudio Correa, que vem acompanhando os encontros preparativos da campanha pelo piso regional 2011 há um mês, disse que os 17,33% satisfaz em parte os trabalhadores. “Nesse índice não está todo o valor que temos que recuperar. A ideia de 17,33% é porque se abriu a diferença que ainda falta recompor em duas parcelas de 8,59%. O percentual seria nesse momento 17,33% que iria recuperar 50% do valor que era o piso quando foi criado”, afirmou.

O sindicalista acredita que o índice é o começo da luta por melhores reajustes e que o Estado tem condições de cumprir e de pagar o piso estipulado. “Um exemplo claro é que a Assembleia Legislativa reajustou em 64% o salário dos deputados e a população e os empresários não impediram”, argumentou. Outro ponto levantado por Correa foi o fato do governo gaúcho hoje estar sob a gestão de um partido originário da classe trabalhadora. “Não acredito que tenhamos problemas para aprovar aqui o piso que reivindicamos”, completou.

Os sindicalistas também abordaram a questão do mínimo nacional e a correção da tabela do Imposto de Renda (IR).

Correa comparou Dilma a Lula e afirmou estar otimista que a presidente atenda a reivindicação dos trabalhadores. “Não vamos negociar mais com o Lula, estamos negociando com uma administradora que acima de qualquer coisa quer ver os dados e os números. Acredito que o início é meio tumultuado, mas vai se perfilando porque o movimento sindical ajudou o país a sair da crise”, lembrou.

O economista do Dieese, Ricardo Franzoi, indicou a necessidade de revisão dos critérios de reajuste nos índices salariais. “O que tornaria o salário mais perto da realidade seria não ficar pagando o reajuste baseado no PIB de dois anos atrás, porque a economia está crescendo”, opinou economista, afirmando que esse raciocínio se aplica tanto ao mínimo regional quanto o nacional. Segundo ele, a principal questão atualmente é a garantia de uma política permanente de recuperação do salário.

“No mínimo regional temos um valor muito defasado em relação ao nacional, mas temos que ter em conta ainda que o piso regional não tem acompanhado o crescimento e a distribuição da economia gaúcha”, explicou.

Oniro Camilo, vice-presidente da NCTS, destacou que a mobilização unificada entre as centrais sindicais está maior em 2011, já que foi construída desde 2010. “As centrais estão preocupadas com os trabalhadores e com a valorização do piso regional aqui no Rio Grande do Sul”, disse. Conforme o sindicalista, a recuperação dos 27% de defasagem do piso é importante e há uma expectativa dentro do movimento sindical de que com o governo Tarso Genro haja uma nova visão sobre o mínimo estadual e o índice volte ao mesmo patamar de 2001, que era 1,28% acima do salário mínimo nacional.

Nessa direção, Henrique Silva, diretor da CTB, disse que a campanha unificada com as demais centrais torna o piso regional uma exigência concreta. “Queremos discutir e aprovar no Rio Grande do Sul a valorização e o reconhecimento da manutenção do piso estadual”, frisou. Conforme Silva, o momento de desenvolvimento do Estado passa pela valorização do mínimo regional e que isso aconteça de fato.

O sindicalista também defendeu o salário mínimo nacional de R$ 580 e disse que o posicionamento da presidente Dilma Rousseff, ao não negociar um reajuste maior, significa um retrocesso da política que vinha sendo implantada na valorização do trabalhador. “Valorizar a política que havia antes, de ganho real mais o crescimento em relação ao quadro do salário mínimo nacional, realmente faz diferença em relação ao quadro de economia do Brasil. O posicionamento dela não vem ao encontro da posição dos trabalhadores”, criticou.

O forte processo de unidade entre as centrais sindicais deverá dar o tom da luta pelos direitos dos trabalhadores na campanha deste ano. Essa é a opinião do presidente da CUT-RS, Celso Woyciechowski. “O mínimo regional perdeu ao longo dos anos muito da sua valorização, seja em relação ao mínimo nacional ou comparado ao crescimento da economia do nosso Estado”, ressaltou.

A mobilização dos trabalhadores buscará na Assembleia Legislativa a recuperação do piso e um salário compatível com o trabalho do Rio Grande do Sul. O sindicalista da CUT também acredita que as negociações pelo salário mínimo nacional vão avançar até os R$ 580 pedidos pelas centrais sindicais. “É possível e a economia permite, há um lastro dos últimos anos em que foi mostrado que a política do salário mínimo dá possibilidades de distribuição de renda e oxigenação da economia”, garantiu o dirigente da CUT.

Os sindicalistas lamentam a maneira conservadora com a qual o governo nacional está tratando o salário mínimo e o reajuste da tabela do Imposto de Renda. “Essa postura não contribui para o desenvolvimento e nem para a geração de renda”, garantiu Woyciechowski.

De acordo com César Pacheco Chagas, presidente da CGTB, o índice do piso regional foi definido a partir do consenso entre as centrais como o que efetivamente recuperará as perdas ao longo dos anos. Em relação ao mínimo nacional, a central está trabalhando para melhorar a proposta do governo federal. “Nos estranha a proposta da presidente Dilma, bem diferente daquilo que é o anseio do trabalhador. Assim continuaremos pressionando pela recomposição do mínimo de R$ 580 e também pela redução da tabela do IR”, finalizou.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Reivindicações - Força Sindical-RS entrega carta a deputados gaúchos na posse em Brasília

Janta, Beto Albuquerque e Barbosa
A comitiva da Força Sindical-RS esteve em Brasília na última quarta-feira e entregou aos deputados federais gaúchos que foram empossados uma carta de reivindicações. Os deputados Beto Albuquerque (PSB), Sérgio Moraes (PTB), Jerônimo Goergen (PP) e Luiz Carlos Heinze (PP) estão entre os políticos que receberam o documento do grupo liderado pelo presidente da Força Sindical-RS, Clàudio Janta.

A carta de reivindicações, dentre os principais pontos, solicita a valorização do mínimo nacional de R$ 580, a correção da tabela do Imposto de Renda (IR), o aumento no salário dos aposentados, o fim do fator previdenciário e a redução da jornada de trabalho para 40 horas.

"O documento demarca a importância de firmar o desenvolvimento do país bem como a distribuição de renda", pontua o presidente da Força Sindical-RS, Clàudio Janta.

Além de Janta, estiveram em Brasília diretores da Força Sindical-RS como Luís Carlos Barbosa e demais sindicalistas filiados à central.

Os deputados federais gaúchas empossados na 54° Legislatura da Câmara Federal são:

PT (8)

Paulo Pimenta *
Henrique Fontana *
Marco Maia *
Pepe Vargas *
Dionilso Marcon
Ronaldo Zülke
Elvino Bohn Gass
Fernando Marroni *

PP (6)

Luiz Carlos Heinze *
Vilson Covatti *
José Otávio Germano *
Renato Molling *
Afonso Hamm *
Jerônimo Goergen

PMDB (4)

Osmar Terra *
Darcísio Perondi *
Mendes Ribeiro Filho *
Alceu Moreira

PDT (3)

Giovani Cherini
Enio Bacci *
Vieira da Cunha *

PSB (3)

José Luiz Stédile
Alexandre Roso
Luiz Noé

PTB (3)

Danrlei de Deus Goleiro
Sérgio Moraes *
Ronaldo Nogueira

PCdoB (2)

Manuela D’Ávila *
Assis Melo

DEM (1)

Onyx Lorenzoni *

PSDB (1)

Nelson Marchezan Jr.

* indica deputado federal reeleito

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Intercâmbio sindical - Força Sindical se reúne com a Unta na Angola e afina intercâmbio com centrais africanas

O presidente do Sindec e secretário de Relações Internacionais da Força Sindical, Nilton Neco, já se encontra na Angola. Hoje, o sindicalista participou de reunião com a maior central angolana - a UNTA (Sindicato Nacional dos Trabalhadores Angolanos).
Dentre os pontos tratados no encontro estão a consolidação da solidariedade entre os países, a efetivação do intercâmbio entre as entidades presentes e a troca de experiências do movimento sindical do Brasil com as demais unidades de ação das centrais.
Para 2011, ficou programado um evento no setor de construção civil.

Posse - Força-RS prestigia a nova presidência da FGTSA


Lélio, de óculos, ao lado do presidente, de gravata
O presidente da Força Verde, Lélio Falcão, foi à posse do presidente da Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social do Rio Grande do Sul (FGTAS), Heitor Gularte.

A entidade coordena e desenvolve um conjunto de programas, ações e serviços direcionados à geração de emprego e renda e à inclusão social da população.Os serviços oferecidos pela FGTAS destinam-se aos trabalhadores desempregados ou em situação de emprego vulnerável, jovens sem experiência profissional, pessoas portadoras de deficiência (PPDs), artesãos, autônomos e pescadores artesanais.

Além disso, a FGTAS participa da discussão do mínimo regional.

Lélio também representou o presidente da Força Sindical-RS, Clàudio Janta, na cerimônia de posse.

Intercâmbio sindical - Secretário de Relações Internacionais da Força encerra atividades na África do Sul e segue para a Angola



O secretário de Relações Internacionais da Força Sindical, Nilton Neco, participou ontem de encontro na Fedusa (The Federated of Unions of South Africa), segunda maior central sindical Sul Africana.

A reunião com lideranças locais abordou a política do Trabalho Decente - bandeira amplamente discutida pelo movimento sindical brasileiro - o fortalecimento da solidariedade internacional na cooperação entre os países, a união das nações do Hemisfério Sul, além da criação de um comitê para pressionar e influenciar a favor dos trabalhadores nas rodadas de discussão do Brics - sigla que designa Brasil, Rússia, Índia e Chile.


Ficou acertado ainda um encontro para intercâmbio sindical a ser realizado neste ano. O sindicalista brasileiro segue hoje para a Angola, dando continuidade à viagem e reuniões no continente Africano.

Na próxima semana, Neco estará no Senegal, onde participa do Fórum Social Mundial 2011.