segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Piso regional - Centrais apresentam a pauta do reajuste do piso ao presidente da Assembleia


Presidente da CUT, Celso Woyciechowski; presidente do Legislativo, Adão Villaverde; e o diretor da Força Sindical-RS, Luis Carlos Barbosa
A proposta de reajuste do piso regional em 17,33% foi protocolada pelas centrais sindicais hoje na Assembleia Gaúcha. Os sindicalistas foram recebidos pelo presidente do Legislativo, Adão Villaverde (PT). As centrais agradeceram a receptividade e apresentaram a reclamação de não haver equipamentos disponíveis na sala do Fórum Democrático no momento em que houve reunião para estabelecer a entrega da pauta.
Após o presidente da Assembleia se desculpar, o encontro seguiu amistosamente com a apresentação da pauta do reajuste e o pedido de que volte a ter respeitada sua equiparação com o salário mínimo nacional.
Embora o projeto de reajuste deva tramitar do Executivo para o Legislativo, os sindicalistas pediram o apoio de Villaverde nos debates que serão realizados com os deputados e empresários na Assembleia na aprovação do índice. Líderes sindicais argumentaram que o piso precisa de uma política de recuperação permanente para cessar perdas que se acumularam principalmente nos últimos dois anos.
O mínimo regional beneficia mais de 1 milhão de trabalhadores no Rio Grande do Sul, entre calçadistas, domésticas, agricultores e serviços gerais.
“Queremos uma política de Estado permanente para o piso regional. Os dados do Dieese apontam para essa necessidade”, afirmou o diretor da Força Sindical-RS, Luis Carlos Barbosa, que agradeceu a agilidade com que os sindicalistas foram atendidos no pedido de encontro com Villaverde.
O presidente da CUT-RS, Celso Woyciechowski, disse que o reajuste tem fundamentação muito grande porque o Estado está em ciclo econômico positivo.

O presidente da Assembleia destacou a importância do tema para o Legislativo e o Estado. “Sabemos que é um instrumento importante para o poder de compra do trabalhador”, disse. Ele garantiu que oficiará a proposta com as mesas e lideranças dos partidos para conhecimento de todos o mais rápido possível. “A Casa está aberta ao debate e as comissões à disposição das centrais”, ressaltou.
Villaverde também elogiou a antecipação das centrais em se mobilizarem, debaterem o tema e levarem para a Assembleia. “Esse debate ajuda, inclusive, a recuperar o papel do Legislativo nos assuntos que mais interessam aos gaúchos”, finalizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário