sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Ministro Lupi comanda com discurso de renovação o 5º Congresso Nacional do PDT em Porto Alegre

O 5º Congresso Nacional do PDT iniciou ontem com o Dante Barone da Assembleia Legislativa lotado de militantes de todos os estados do Brasil, que vieram prestigiar as lideranças do partido e refletir sobre os rumos do PDT. Foram 1350 delegados inscritos e 698 observadores, além de autoridades convidadas e políticos importantes como o governador do RS Tarso Genro e presidente da ALRS, Adão Villaverde; deputado federal de SP Paulinho Pereira, senador Cristóvão Buarque e demais pedetistas importantes. Clàudio Janta compôs a mesa de abertura com todas as autoridades presentes. Em entrevista exclusiva ao Blog, o ministro do Trabalho e Emprego do Brasil e presidente nacional licenciado do PDT, Carlos Lupi, falou dos 50 anos da Legalidade, do legado de Brizola, o amadurecimento do congresso e da importância dos coletivos como o Força e Fé e Brizola Vive. Lupi comentou ainda as eleições internas do partido. Acompanhe:



Legalidade

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, afirmou na abertura do 5ª Congresso Nacional do PDT que é um momento em que se comemora os 50 anos da cadeia da Legalidade, um movimento liderado por Leonel Brizola que a partir do Rio Grande do Sul garantiu a posse do presidente João Goulart.

"Foi um movimento que mobilizou a sociedade civil, com adesão da Brigada Militar aqui do RS e se transformou no único momento da história civil do Brasil em que o um movimento da sociedade impediu o golpe. Esses 50 anos são o reconhecimento da liderança que o Brizola teve pela defesa intransigente da democracia, da posse do vice-presidente e a garantia da Legalidade, que a Lei diz que na ausência do presidente assume o vice. Queremos marcar esse reconhecimento a Leonel Brizola e ao povo gaúcho pela democracia que permaneceu no Brasil."


Congresso

"Esse congresso foi organizado com 12 temas diferentes que serão discutidos durante toda a sexta-feira e sábado para as atualizações necessárias de nosso programa em duas etapas. São 12 coordenações com expositores que vão debater os temas, depois teremos a conclusão e enviaremos para os estados. Os estados vão examinar e no ano que vem, em maio ou julho, vamos fazer uma segunda etapa para votar essas definições."

Diretas Já
"Essa é uma discussão que não estamos travando ainda, uma discussão que primeiro tem que passar pelo estado. O que está combinado é a eleição direta das zonais, estabelecida em convenção. A municipal vai depender do resultado da zonal e isso é uma decisão que a nacional terá que tomar no momento certo."

Coletivo Força e Fé 
"Sempre considero muito bom que o partido tenha esses movimentos organizando e se fortalecendo, mostrando que o partido tem vida, que o partido está querendo ser construído, abrindo espaço para novas lideranças. Isso é fundamental no PDT, que quer olhar o futuro, abrindo novas lideranças vamos conquistando outros segmentos na sociedade que queiram ser candidato a prefeito, vice-prefeito, a deputado, a governador, que o partido vive disso, abrir espaço e abrir oportunidades."

Nenhum comentário:

Postar um comentário