sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Aviso prévio: Janta reconhece avanço, mas cobra reforma plena

"A Lei do Aviso Prévio de 90 dias, sancionada na terça-feira passada pela presidente Dilma Rousseff, desagrada tanto a representantes de entidades empresariais quanto a trabalhadores. Especialistas da área também questionam os benefícios da alteração, que acrescentou três dias por ano de trabalho no aviso prévio dos funcionários de empresas.

Para o presidente da Força Sindical no RS, Claudio Janta, a mudança representou um avanço muito pequeno. Ele ressaltou que os desligamentos de trabalhadores acontecem por culpa dos altos juros e da especulação financeira. "Não será por três dias a mais no aviso prévio", afirmou. Também há insatisfação do lado empresarial. O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-RS), Vilson Noer, demonstrou preocupação com a nova lei. "O aviso prévio maior pode incentivar a informalidade", disse. O advogado trabalhista Elias Stevenson Barber Júnior acredita que, na prática, a nova lei trará poucas mudanças. "A lei chega defasada", atestou. O advogado acredita que os maiores problemas cairão nas costas dos empregados. "Pedir demissão vai custar mais caro. A mudança de emprego é muito dinâmica e avisar com dois meses de antecedência é inviável", argumentou.

Sobre a retroatividade da lei, ponto que tem dividido opiniões, ele acredita que somente trabalhadores demitidos após sua publicação no Diário Oficial da União terão esse direito. "Acredito que o Judiciário se posicionará nesse sentido, apesar do texto não ser claro", observou. O presidente nacional da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, disse que a entidade vai se basear no artigo 7 da Constituição, que prevê que o trabalhador tem até dois anos após sua dispensa para requerer os direitos à Justiça." 

Correio do Povo, 13/10/2011

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Janta é pré-candidato a vereador em Porto Alegre

O Coletivo Força e Fé definiu o nome de Clàudio Janta como pré-candidato a vereador em Porto Alegre nas eleições de 2012. A deputada Juliana Brizola e representantes do movimento Brizola Vive! prestigiaram o evento que reuniu cerca de 200 pessoas.

A reunião contou com a participação de lideranças sindicais de diversas categorias de trabalhadores de Porto Alegre. Também compareceram ao encontro lideranças partidárias dos movimentos de ponta do PDT, de bairros, estudantis, femininas, ativistas culturais, esportivos, religiosos e das minorias.

O anúncio da decisão foi feito por Luis Carlos Barbosa que retirou sua candidatura em favor de Clàudio Janta. Também acompanharam Barbosa na decisão, e participaram da mesa de trabalhos, Silvio Ribeiro, Fernando Albino e Alexandre Rambo, potenciais candidatos a vereador em Porto Alegre.

Natural candidato dos comerciários de Porto Alegre, e sintetizando o sentimento dos demais integrantes da mesa, Barbosa defendeu o nome de Janta “em virtude de seu ótimo desempenho em Porto Alegre nas eleições para deputado estadual”, o que lhe garante maior densidade eleitoral, segundo ele.

O vice-presidente do Sindicato dos Rodoviários, Gerson de Assis, da mesma forma informou, em seu nome e das lideranças da categoria rodoviária da capital, que estava retirando sua pré-candidatura para apoiar Janta na eleição para a Câmara de Vereadores de Porto Alegre.

A deputada Juliana Brizola destacou a parceria, a sinceridade e a fidelidade da relação política construída entre ela e Janta e entre os dois coletivos - Brizola Vive! e Força e Fé – no processo de luta pela democratização do partido na capital, no estado e no país.

Concorrendo pela primeira vez para um cargo legislativo, Janta fez cerca de 10 mil votos em Porto Alegre, sendo o quarto deputado estadual mais votado do PDT na capital, em um pleito em que concorreram diversos vereadores e tradicionais lideranças trabalhistas.