sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Mensagem de final de ano


Feliz Natal e Próspero Ano Novo, a você e toda sua família. Que os sonhos, hoje apenas sonhos, num breve futuro se transformem em realidade. Desejo que 2012 venha repleto de proteção, saúde e felicidade.


quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Salário digno é decência no trabalho

O governador Tarso Genro enviou um projeto para a Assembleia Legislativa instituindo o novo salário mínimo regional no estado do Rio Grande do Sul. O valor do piso regional, da Faixa 1, será de R$ 700 a partir de 1º de março.

O projeto propondo o reajuste de 14,75%, percentual bem próximo do reivindicado pelas centrais sindicais (18,7%), será enviado à Assembleia Legislativa. O salário mínimo regional é pago a cerca de 2,3 milhões de trabalhadores de 34 categorias da iniciativa privada.

Nos meses de janeiro e fevereiro, valerá a Faixa 2 do piso atual, que é de R$ 624, para não ficar menor que o salário mínimo nacional que vigora em 1º de janeiro, com reajuste de 14,26%, resultando no valor de R$ 622,76.




É importante a implantação desse salário mínimo para aquecer a economia e desenvolver o estado. Ações como esta garantem o desenvolvimento econômico com distribuição de renda.

Temos visto a nível nacional que um investimento no mercado interno, isso a nível de união, estado e município, ele não permite que o seu povo fique refém do sistema financeiro,  fique refém da exploração.

Então um salário digno gera dividendos, um salário digno fomenta a economia. Nós esperamos que a Assembleia Legislativa aprove este projeto e institua no RS um salário decente para as pessoas, já que o Brasil, o nosso Estado e todos estamos juntos na busca pelo emprego de uma salário decente. 


terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Jantar de confraternização do Coletivo Força e Fé reúne movimentos do PDT

A noite de segunda-feira, 19, foi marcada por uma grande confraternização entre os membros do Coletivo Força e Fé e dos movimentos do PDT. 

Diversos órgãos estiveram presentes do evento, como o Movimento Negro, a Juventude Socialista e representantes de cada bairro onde o Coletivo atua. 



A noite foi representada por oratórias e homenagens. O membro da Executiva Nacional do PDT, Claudio Correa, explanou sobre a qualificação e eficiência do trabalho desenvolvido pelo presidente da Força Sindical RS, Clàudio Janta. 

Quem esteve presente no evento também foi o vice-presidente do PDT, Afonso Motta. De acordo com Motta a competência ética e um diferencial nos dias de hoje. 

- Batalhas de Leonel Brizola estão mais vivas do que nunca e o trabalho ganha significado de desenvolvimento - diz Motta. 

 O chefe de gabinete da deputada Estadual Juliana Brizola, Jonatas Ourique, comentou sobre a luta em conjunto da equipe do PDT, da deputada juntamente com Janta, e ainda destacou a parceria dos coletivos durante o ano de 2011. Escola de turno integral foi uma das bandeiras lembradas na noite de confraternização. 

O presidente da Forca Sindical RS, Clàudio Janta, ressaltou que como um time os militantes devem jogar juntos um busca de final vitorioso, além de falar sobre a importância da mobilização pelo desenvolvimento de Porto Alegre. 




Outros participantes também falaram ao público, como o diretor da Força Sindical RS, Luis Carlos Barbosa, o radialista e líder comunitário Edi Morelli, o presidente da Juventude Socialista do Rio Grande do Sul, João Cello, o jornalista Silvio Ribeiro, membro do Coletivo Carlos Araújo, Janete Pinzon, e Fabrício Dutra. 

As oratórias terminaram com a bênção do padre Arnaldo e encaminhando todos ao jantar. 


*Coletivo Força e Fé

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Confraternização do PDT em Encruzilhada do Sul

O último domingo, 18, foi de confraternização em Encruzilhada do Sul. À convite do pré-candidato à prefeitura municipal, Conceição Krusser, Clàudio Janta participou de um almoço promovido pelo PDT local, que marcou a articulação partidária em prol do desenvolvimento do município nos próximos anos. Cláudio Côrrea, integrante do PDT de Porto Alegre e da Executiva Nacional, e Alessandro Medeiros, da Executiva da Juventude Socialista de Porto Alegre e vice-presidente da UEE-RS, também participaram do evento.

O presidente municipal do PDT de Encruzilhada do Sul, Iberon Gonçalves, destacou a importância da articulação dos líderes locais de outros partidos, como PMDB, PPS, PSB e PC do B, que também participaram do almoço.

Clàudio Janta frisou que o momento deve ser de união e trabalho em cooperação pelo desenvolvimento da cidade. "Nós vamos ser parceiros de Encruzilhada do Sul", declarou, destacando que o foco da nova administração deve ser a busca por investimentos para desenvolver áreas de potencial da cidade e também da região. Janta também destacou o potencial de Conceição à frente da administração municipal, garantindo apoio. "Vamos ajudar Encruzilhada do Sul a mudar de rumo e ir ao encontro do progresso e da geração de emprego e renda. É essa a dignidade que temos buscado para os trabalhadores", concluiu.

Agradecendo a presença de todos, Conceição declarou o comprometimento com bandeiras dos trabalhadores. "Vamos seguir trabalhando em conjunto pela qualificação profissional", garantiu, ressaltando ainda o trabalho do presidente da Força Sindical-RS na representação dos trabalhadores gaúchos. "Clàudio Janta está fazendo por nós o que nenhum deputado eleito fez", destacou.

O almoço contou ainda com a participação de vários pré-candidatos à Câmara de Vereadores.

*Coletivo Força e Fé

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Nova ponte sobre o Rio Guaíba será a construção de um sonho para os gaúchos

Um antigo sonho dos gaúchos deve se realizar em breve. A presidente Dilma Rousseff anunciou, no Cais do Porto, em Porto Alegre, um grande avanço para o povo do Rio Grande do Sul, da Metade Sul do nosso estado, que é a nova ponte sobre o Rio Guaíba.

A estrutura será erguida com recursos exclusivamente públicos – estimados em  R$ 900 milhões – e terá um vão livre de 36 metros, o que vai possibilitar o tráfego fluvial mesmo que ocorram grandes cheias. Além disso, a nova ponte terá duas pistas em cada sentido, mais uma área de acostamento e uma faixa adicional de segurança.

A construção da nova ponte, que será implantada a partir de 2014, foi uma das promessas da campanha presidencial de Dilma e deve solucionar o gargalo logístico entre a Região Metropolitana e a Metade Sul do estado.  




A ponte que existe atualmente foi inaugurada em 1958 e possui um vão central suspenso para a passagem de navios, o que interrompe temporariamente o tráfico de veículos. 

Esta ponte vai facilitar o acesso das pessoas, vai facilitar que a produção escoe, vai facilitar a vida e o dia a dia das pessoas que depende de atravessar esse rio, que depende da ponte velha estar levantada ou não.

O povo da região metropolitana, da costa doce do nosso estado, agradece esse anúncio, a esse investimento que vai ajudar a desenvolver toda essa região e vai ajudar a fazer fluir os sonhos e a produção de toda a Região Sul do nosso estado.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Implantação de free shops deve ampliar o desenvolvimento das cidades fronteiriças

Milhares de brasileiros desfrutam dos produtos importados nas cidades uruguaias, enquanto várias cidades da região de fronteira do Rio Grande do Sul com o Uruguai sofrem com a falta de desenvolvimento e progressão econômica. Vemos a riqueza dos nossos hermanos crescer a partir de consumidores verde-amarelos.

Em 2010, por exemplo, calcula-se que foram gastos em torno de 250 milhões de dólares, em compras de bebidas, tênis, perfumes e outros produtos adquiridos nas lojas francas das cidades uruguaias.

Este cenário deve mudar a partir desta semana. O projeto, que tramita em caráter conclusivo, foi aprovado na pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ). A proposta segue para a aprovação do Senado.

A fronteira do nosso Estado precisa se desenvolver. Nós sabemos da dificuldade de várias políticas que tem pra fazer essa fronteira desenvolver. A acessibilidade da Fronteira é um dos fatores que dificulta isso, além das leis e outros empecilhos que travam esse investimento como o Bioma Pampa, a Faixa de Fronteira, além da questão de infraestrutura. 




Através de uma reivindicação das cidades de fronteira, conseguimos aprovar o projeto do Deputado Marco Maia, que regulamenta para que o Brasil possa ter os free shops. Isso é importante para aquecer a economia das cidades que nossas cidades de fronteira como Uruguaiana, São Borja, Quaraí, Santana do Livramento, Aceguá, Jaguarão e Chuí concorram igual e não fiquem na dependência do que sobra das lojas francas uruguaias.

Isso vai ajudar a gerar empregos, a fomentar o turismo e ajudar as cidades a desenvolver outras políticas para geração de emprego e renda, além da comercialização dos produtos. 

Esperamos que os lojistas das cidades fronteiriças comecem uma mobilização para que o projeto seja completamente aprovado em 2012. Todos devem lutar, buscar o apoio e mostrar para o Senado e para a sociedade a importância da construção dos free shops.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Eleições na Juventude e Movimento Negro renovam órgãos de ponta

Neste último sábado tive o prazer de participar de uma dupla posse na sede do nosso partido: Juventude Socialista e Movimento Negro. Esse processo marca um novo momento, onde o PDT está voltando às suas origens, às suas bases, às vilas de Porto Alegre, escolas e universidades, terreiros de umbanda e igrejas e, principalmente, ao setor que eu represento - as portas de fábrica, os canteiros de obra -, fazendo com que os órgãos de ponta do partido estejam firmes e fortes.

Dep. Brizola Neto, Cláudio Correa, Natashe Inhaquite, eu e dep. Juliana Brizola
Temos a incumbência de ter uma Juventude forte, uma Juventude unida com o Movimento Negro e os órgãos de ponta, trabalhando juntos, para manter "a jóia da coroa", como nossa cidade é chamada. Acredito que vamos fazer uma grande bancada em Porto Alegre e fazer esse PDT crescer ainda mais.

Quero dar os parabéns à Juventude - uma Juventude que pulsa, que alavanca o partido como alavanca o movimento sindical e da sociedade -, à presidente Natashe Inhaquite e sua executiva, e dizer que estamos à disposição para ajudá-los. O PDT precisa muito desta juventude e da força desta juventude para seguir em frente e reconquistar e manter a prefeitura de Porto Alegre, bem como fazer uma grande bancada de vereadores no nosso município.

A eleição também no Movimento Negro, demonstra que os órgãos de ponta do PDT estão se reorganizando. Assume Paulo Roberto da Silva, que é uma pessoa dinâmica e que tem uma militância histórica no Movimento Negro. Estamos também à disposição para sermos parceiros nesse novo ciclo, com a bandeira, sobretudo, da igualdade entre todos.

sábado, 10 de dezembro de 2011

Emenda 29 completa a política de saúde pública brasileira

Há tempo a questão da saúde é um grande gargalo da população. Centenas de pessoas demoram nas filas de espera do atendimento e muitas vezes não chegam a ter acesso à saúde pública. Agora há esperança de que esta situação possa melhorar.

O Senado aprovou nesta semana, a proposta que regulamenta as aplicações mínimas da União, dos estados e municípios na saúde, como determina a Emenda 29. De acordo com o texto aprovado e que vai à sanção presidencial, em 2012 a União aplicará o empenhado em 2011 mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de 2010 para 2011, somando cerca de R$ 86 bilhões. Os estados, por outro lado, serão obrigados a destinar 12% das suas receitas na saúde, e os municípios, 15%.

Neste projeto ficam definidas como despesas de saúde, a vigilância em saúde, a capacitação do pessoal do Sistema Único de Saúde (SUS), a produção, compra e distribuição de medicamentos, sangue e derivados, a gestão do sistema público de saúde, as obras na rede física do SUS e a remuneração de pessoal em exercício na área.




Isso leva ao aumento do recurso da saúde e os governantes municipais não poderão mais mascarar quando dizem que cumprem a emenda. Sem permitir adendos, será obrigatório realizar a aplicação do recurso somente e excepcionalmente à área da saúde.

Há uma expectativa, não é uma cura, mas trata-se de um remédio bom que pode, com o tempo, estagnar esta doença na saúde pública. A probabilidade é de acabem as esperas por uma consulta nos postos de saúde pelo SUS, melhorando assim o acesso da população a uma consulta médica digna.

Nós lutamos, defendemos e abraçamos a causa, e agora com a emenda 29, acreditamos ser possível e real a melhora da saúde para o povo.

Prioridades no partido

Nesta última sexta-feira realizamos reunião com a deputada estadual Juliana Brizola, o deputado federal Brizola Neto e outras lideranças do partido, em Porto Alegre. No encontro, analisamos a conjuntura atual do PDT e, principalmente, suas prioridades.

Com a saída do Ministério do Trabalho, julgamos importante que o partido mantenha sua direção nacional e que o presidente licenciado, Carlos Lupi, mantenha-se em licença. O partido não deve desviar o foco da pauta de desenvolvimento e dos projetos para as eleições municipais, onde disputaremos eleições e reeleições.

Os esforços devem priorizar estas questões dentro do partido e a discussão interna devem ocorrer ao final das eleições, no ano que vem.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Juros altos = Crescimento nulo

O desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro demonstra que a economia teve crescimento zero, ficando estagnada de julho a setembro em relação ao período anterior. Somente houve expansão no setor da agropecuária, que subiu 3,2%. 


Segundo analistas, o PIB fraco é resultado da alta de juros e das medidas de restrição ao consumo adotadas até o início de 2011. 


Outro dado importante, tanto para a política quanto para a economia, é a queda na demanda interna, principalmente no consumo das famílias. Em comparação com o segundo trimestre, essa componente do PIB teve um pequeno encolhimento de 0,1% entre agosto e outubro.


Os investimentos também recuaram em comparação ao período anterior, decorrente da falta de confiança dos empresários diante da crise e dos altos juros. 


Diante destes dados, o governo federal resolveu pisar no acelerador para tentar mudar o cenário da economia brasileira. Como medida para acelerar o crescimento da economia lançou na última semana o pacote de Natal, o qual reduz o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) de eletrodomésticos da chamada linha branca. 


O governo deve aprofundar ainda mais os cortes nas taxas de juros, pois a cobrança abusiva de impostos acaba impedindo o ritmo de consumo e de investimentos no Brasil. 


O país precisa de crescimento econômico reforçado e para que isso aconteça, é relevante fortalecer o mercado interno, gerar mais emprego e distribuição de renda, além de aumentar os investimentos em infraestrutura e nas medidas sociais.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Redução do IPI deve estimular a economia no RS

Na última semana o Governo Federal anunciou a boa nova para este final de ano. Trata-se da redução no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) de eletrodomésticos da chamada linha branca. O pacote também inclui a redução de tributos sobre macarrão, farinha, além do aumento do teto de financiamento de casas do programa Minha Casa Minha Vida.
Os impostos e as taxas vigentes no Brasil, em seu padrão normal, impedem o ritmo de consumo. A carga tributária brasileira é elevada, além de injusta e complexa, o que acaba sendo um obstáculo que restringe o potencial do mercado consumidor.



Estudos mostram que cidadãos que ganham até dois salários mínimos por mês gastam 49% de sua renda com tributos. Quem recebe mais de 30 salários mínimos, gasta 26%. Uma tributação justa acarreta benefícios para o consumidor, pode ter uma vida mais digna, e também traz benefícios para a sociedade porque aumenta a oferta de empregos. Por fim, o Brasil acaba sendo beneficiado porque a economia como um todo cresce.


O governo deve adotar medidas contínuas como esta, pois não adianta somente reduzir o IPI dos carros, também se deve pensar nos móveis, vestuário e até brinquedos. Isso tudo geraria mais empregos e manteria a indústria nacional aquecida, fazendo a economia gerar.

É importante ressaltar que essa medida foi adotada por sugestão das Centrais Sindicais, em especial da Força Sindical, durante a crise econômica de 2008, quando o governo federal renunciou R$ 8,4 bilhões ao diminuir o imposto de renda para pessoas físicas, reduzir a tributação sobre veículos e operações de financiamento. Este é o diferencial com o que ocorre atualmente na Europa, onde ao invés de adotarem medidas semelhantes a essa, os governos apostam na clássica e falida política recessiva da redução dos salários, do desmonte do Estado e da submissão ao sistema financeiro.

Este pacote de Natal mostra que o governo brasileiro reconhece o papel decisivo da carga tributária sobre o ritmo da economia, seja para alavancá-la, com desoneração, ou para contê-la.

sábado, 3 de dezembro de 2011

O sistema de troca de favores entre o Brasil e o FMI

No ano de 2009 o Brasil se tornou credor do Fundo Monetário Internacional (FMI) pela primeira vez, após emprestar US$ 10 milhões em troca de mais direitos de voto dentro do organismo.

Agora, em 2011, o Brasil pede mais poder de decisão. Esta situação de toma lá dá cá entre o Brasil e o FMI busca reduzir os efeitos da crise econômica mundial, principalmente na Europa. Mas por outro lado, a crise econômica e social dos brasileiros fica à mercê da boa vontade dos dirigentes em querer mudar este cenário.

O dinheiro do Brasil deve ser investido nos brasileiros que tem potencial a ser desenvolvido. Temos que profissionalizar o turismo, avançar na produção de tecnologia nacional, não para nos transformar em “potência econômica”, mas para garantir um mundo melhor para nossos conterrâneos.

Basta perceber o déficit dos Estados brasileiros no setor de infraestrutura, com a falta de portos, condições dos aeroportos e falta de planejamento nas moradias e vias de capitais como Porto Alegre.

A realidade é que o Brasil tem muito dever de casa ainda para finalizar. Nosso saneamento básico está longe de ser adequado. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais da metade dos domicílios brasileiros (56%), ou cerca de 25 milhões de lares, não possui qualquer ligação com a rede coletora de esgoto. Outros pontos relevantes são a falta de moradias, qualificação profissional e qualidade de vida. Diante destas circunstâncias, como que os governantes pretendem emprestar dinheiro para países ricos?

É necessário, antes de qualquer decisão final, priorizar as necessidades do povo brasileiro.


Menos juros para gerar mais empregos

No momento em que o Comitê de Política Monetária (Copom) realizou a última reunião do ano para tratar sobre os juros básicos brasileiros, todos nós sindicalistas lamentamos a queda de apenas 0,5 ponto percentual na Taxa Básica de Juros.

É um absurdo que o Brasil esteja há dois anos no ranking mundial como o país que mais paga juros. Esta redução da taxa Selic de 11,50% para 11% ao ano é muito tímida para a economia brasileira.




O governo federal deve entender que é necessário reduzir os juros para que o país possa crescer e consequentemente gerar mais empregos e estimular a produção. A economia está crescendo, mas não pode crescer no alicerce do capital especulativo dos juros.

Conforme os estudos, o ideal para o Brasil seria que a taxa Selic estivesse atualmente em 6% ao ano. Atualmente, a taxa básica de juros está em 11,5% ao ano.

Observamos que nos países da Europa, que estão passando por crise, no passado houve uma opção pela especulação, ao abrirem mão de investir e manter suas indústrias e parques metalúrgicos e de produção para dedicarem suas economias ao sistema financeiro com a abertura de bancos e serviços. Sem contar a alta privatização e encolhimento do estado e do serviço público.

É preciso acreditar no mercado interno brasileiro e adotar medidas políticas que ampliem a oferta de crédito aos consumidores e às empresas.


País forte se faz com economia forte.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Gaúchos compõem o maior índice de morte por Aids no Brasil

Dados divulgados durante esta semana pelo Ministério da Saúde revelam números alarmantes sobre a contaminação do vírus da Aids no Rio Grande do Sul.


De acordo com a pesquisa, a taxa de mortalidade em decorrência da Aids no Estado é a mais alta do Brasil, sendo que o aumento foi de quase 100% em relação a 1994. Porto Alegre foi a capital brasileira que mais registrou casos da doença por habitante, em 2010, e de cada 100 mil gaúchos, 13 morrem vitimados pelo vírus HIV. 

O problema pode ser atribuído aos órgãos de Saúde Pública que anos atrás realizavam uma campanha míope, onde o foco dos cuidados e preservação se concentrava somente nas cidades portuárias como Santos (SP), não atingindo os grandes centros.  

Com o problema nestas proporções, nós sindicalistas, temos a função de buscar medidas para reverter estes índices de mortalidade por Aids no RS. Assim, é fundamental e urgente realizar uma grande conscientização em todas as comunidades carentes e de classe.  


Os jovens começam a ter relações sexuais sem antes obter as informações necessárias sobre os cuidados e prevenções. Então, cabe às entidades, escolas, cursos, Poder Público e Secretarias de Saúde intensificar uma campanha permanente na questão da Aids.  


Familiares e pessoas queridas dos pacientes também compartilham o sofrimento, a perda de controle e de qualidade de vida, bem como o estresse psicológico e social.


É evidente que hoje os preservativos têm baixo custo e estão mais próximos da população, sendo vendidos em supermercados e farmácias. Também há distribuição gratuita nos postos de saúde de todas as cidades.


Previna-se e passe essa informação adiante!
E não esqueça: a solidariedade antes começa pela prevenção e depois continua no auxílio.