quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Implantação de free shops deve ampliar o desenvolvimento das cidades fronteiriças

Milhares de brasileiros desfrutam dos produtos importados nas cidades uruguaias, enquanto várias cidades da região de fronteira do Rio Grande do Sul com o Uruguai sofrem com a falta de desenvolvimento e progressão econômica. Vemos a riqueza dos nossos hermanos crescer a partir de consumidores verde-amarelos.

Em 2010, por exemplo, calcula-se que foram gastos em torno de 250 milhões de dólares, em compras de bebidas, tênis, perfumes e outros produtos adquiridos nas lojas francas das cidades uruguaias.

Este cenário deve mudar a partir desta semana. O projeto, que tramita em caráter conclusivo, foi aprovado na pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ). A proposta segue para a aprovação do Senado.

A fronteira do nosso Estado precisa se desenvolver. Nós sabemos da dificuldade de várias políticas que tem pra fazer essa fronteira desenvolver. A acessibilidade da Fronteira é um dos fatores que dificulta isso, além das leis e outros empecilhos que travam esse investimento como o Bioma Pampa, a Faixa de Fronteira, além da questão de infraestrutura. 




Através de uma reivindicação das cidades de fronteira, conseguimos aprovar o projeto do Deputado Marco Maia, que regulamenta para que o Brasil possa ter os free shops. Isso é importante para aquecer a economia das cidades que nossas cidades de fronteira como Uruguaiana, São Borja, Quaraí, Santana do Livramento, Aceguá, Jaguarão e Chuí concorram igual e não fiquem na dependência do que sobra das lojas francas uruguaias.

Isso vai ajudar a gerar empregos, a fomentar o turismo e ajudar as cidades a desenvolver outras políticas para geração de emprego e renda, além da comercialização dos produtos. 

Esperamos que os lojistas das cidades fronteiriças comecem uma mobilização para que o projeto seja completamente aprovado em 2012. Todos devem lutar, buscar o apoio e mostrar para o Senado e para a sociedade a importância da construção dos free shops.

Nenhum comentário:

Postar um comentário