sábado, 3 de dezembro de 2011

Menos juros para gerar mais empregos

No momento em que o Comitê de Política Monetária (Copom) realizou a última reunião do ano para tratar sobre os juros básicos brasileiros, todos nós sindicalistas lamentamos a queda de apenas 0,5 ponto percentual na Taxa Básica de Juros.

É um absurdo que o Brasil esteja há dois anos no ranking mundial como o país que mais paga juros. Esta redução da taxa Selic de 11,50% para 11% ao ano é muito tímida para a economia brasileira.




O governo federal deve entender que é necessário reduzir os juros para que o país possa crescer e consequentemente gerar mais empregos e estimular a produção. A economia está crescendo, mas não pode crescer no alicerce do capital especulativo dos juros.

Conforme os estudos, o ideal para o Brasil seria que a taxa Selic estivesse atualmente em 6% ao ano. Atualmente, a taxa básica de juros está em 11,5% ao ano.

Observamos que nos países da Europa, que estão passando por crise, no passado houve uma opção pela especulação, ao abrirem mão de investir e manter suas indústrias e parques metalúrgicos e de produção para dedicarem suas economias ao sistema financeiro com a abertura de bancos e serviços. Sem contar a alta privatização e encolhimento do estado e do serviço público.

É preciso acreditar no mercado interno brasileiro e adotar medidas políticas que ampliem a oferta de crédito aos consumidores e às empresas.


País forte se faz com economia forte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário