sexta-feira, 30 de março de 2012

Programa TV AL Democracia debate o Imposto Sindical nesta sexta-feira

 
 
Nesta sexta-feira, dia 30, vai ao ar o programa da TV AL Democracia que debate o Imposto Sindical. Participo desta discussão juntamente com o secretário de Política Sindical da CUT-RS, Claudir Nespolo, e Paulo Barck, representante da UGT.

O programa será transmitido hoje, às 23h, com reprises no final de semana.

Veja os horários clicando aqui.

quinta-feira, 29 de março de 2012

Grito de Alerta mobiliza catarinenses contra a desindustrialização

O ato unificado Grito de Alerta: em defesa da indústria e do emprego ocorreu em Florianópolis-SC na quarta-feira, dia 28. Estive junto com o povo catarinense nesta luta que pauta o emprego, a indústria nacional e o mercado interno. 

Lideranças nacionais, como o presidente geral da Força Sindical, deputado federal Paulinho Pereira e o secretário geral, João Carlos Juruna também estavam presentes no evento. Além deles, os diretores gaúchos da central Luis Carlos Barbosa e Claudio Correa.



Fizemos uma festa bonita em Porto Alegre, com apoio do governador Tarso Genro e da Assembleia Legislativa, e agora tivemos a possibilidade de dar a nossa colaboração para o estado de Santa Catarina.  

A Praça Tancredo Neves foi o palco do movimento, que mobilizou os catarinenses com a finalidade de chamar atenção para a perda de competitividade da indústria brasileira, que tem provocado a chamada desindustrialização. 



O ato começou às 15h e às 16h30 foi realizada a entrega da pauta com as reivindicações do movimento ao governador, Raimundo Colombo, e ao Presidente da Assembleia Legislativa, Gelson Merisio.

quarta-feira, 28 de março de 2012

Movimento Grito de Alerta é articulado em Santa Catarina nesta quarta-feira

O movimento Grito de Alerta pelo emprego e a indústria nacional continua mobilizando trabalhadores, empresários e sindicalistas por todo o Brasil. Hoje participo em Florianópolis-SC do ato, junto de outras lideranças nacionais, como o presidente geral da Força Sindical, deputado federal Paulinho Pereira. Além dele, estão presentes os diretores gaúchos da central Luis Carlos Barbosa e Claudio Correa.

O estado também passa pelos problemas da desindustrialização, além do câmbio hipervalorizado, os altos juros, a excessiva carga tributária, a chamada ‘guerra dos portos' e a infraestrutura cara e insuficiente no país. Esta é uma batalha de toda a sociedade trabalhista. Temos que lutar pelo nosso emprego, questionar e lutar pela contenção da entrada desenfreada de produtos importados que acabam com os empregos no Brasil. 




O ato acontece na Praça Tancredo Neves e pretende chamar atenção para a perda de competitividade da indústria brasileira, que tem provocado a chamada desindustrialização. 

Às 15h inicia o ato e às 16h30 será entregue ao governador, Raimundo Colombo, e ao Presidente da Assembleia Legislativa, Gelson Merisio, a pauta que reúne as reivindicações do movimento.

terça-feira, 27 de março de 2012

Ato pelas indústrias nacionais reúne 10 mil pessoas em Porto Alegre

Um grande movimento contra a desindustrialização aconteceu na segunda-feira, dia 26, em Porto Alegre, o chamado Grito de Alerta: em defesa do emprego e da indústria. O ato uniu as centrais sindicais, entidades empresariais e movimento estudantil.

Conseguimos reunir cerca de 10 mil pessoas participaram da passeata, que percorreu o Largo Glênio Peres e a Praça da Matriz. 



As lideranças reunidas entregaram o documento que contempla 22 itens de alerta à presidência da Assembleia Legislativa do RS, representada pela vice Zila Breitenbach, e ao governador Tarso Genro, que recebeu a comitiva de trabalhadores, empresários e estudantes.

O encontro com o governador Tarso Genro superou as nossas expectativas, especialmente porque ele se comprometeu a entregar o documento Grito de Alerta pessoalmente à presidente Dilma Rousseff. 

O governador deu garantias ainda de que vai mobilizar a bancada na ALRS para que realmente comece a resolver problemas de emprego e renda na indústria gaúcha. 

Lideranças nacionais também integraram o ato pelo emprego e indústria, como o presidente nacional da Força Sindical, o deputado federal Paulinho Pereira, também participou do ato, assim como o vice-presidente da central, Miguel Torres.


O objetivo maior do movimento foi defender nossos empregos, a indústria nacional e o mercado interno brasileiro.

Com a indústria brasileira em decadência, os nossos empregos são afetados e passam a ser gerados em outros países. É de extrema importância negociar condições especiais sobre redução de juros e o equilíbrio cambial.

É urgente trabalhar a matéria bruta do Brasil e garantir o emprego e a renda.

Por estes motivos, temos que debater com os políticos e mostrar para a população que esta causa é de todos. A luta contra a desindustrialização é de toda a sociedade!

segunda-feira, 26 de março de 2012

Todos contra a desindustrialização

Nesta segunda-feira, dia 26, acontece o ato Grito de Alerta, manifestando contra a desindustrialização do nosso país.Vamos às ruas para defender nossos empregos, a indústria nacional e o mercado interno. Queremos trabalhar a matéria bruta do Brasil e garantir o emprego e a renda. Essa luta contra a desindustrialização é nossa!

A concentração inicia às 13h30min no Largo Glênio Peres. Todos à luta!

E hoje, o Porto ficou mais Alegre

Hoje Porto ficou mais Alegre! Nossa homenagem aos 240 anos da capital de todos os gaúchos.

Parabéns à nossa linda cidade e a todos os porto-alegrenses por uma das mais belas e acolhedoras cidade do mundo. 


terça-feira, 20 de março de 2012

4º Seminário sobre a Faixa de Fronteira reúne lideranças políticas de Uruguaiana e do Estado

O 4° Seminário da Força Sindical sobre a Faixa de Fronteira do Mercosul acontece em Uruguaiana, nos dias 19 e 20 de março, na Câmara de Vereadores do Município. O encontro debate o desenvolvimento e os problemas econômicos da região.

O tema Faixa de Fronteira é de extrema importância, por isso estamos realizando esse encontro a quatro anos. O povo descobriu o caminho das pedras e ficou mais fácil acessar a Marinha, Exército e Aeronáutica para conseguir as licenças. Este evento é realizado para facilitar a forma de desenvolver a Faixa de Fronteira. 



O primeiro dia de Seminário debatemos sobre o desenvolvimento da região da Faixa de Fronteira através da geração de emprego e renda. A produção regional deve ser valorizada. Nós não vamos desistir, vamos continuar discutindo essas questões. Não viemos aqui buscar nada, se não geração de emprego e renda, qualidade de vida para as pessoas.

No segundo e último dia, o painel tratou sobre a poluição de rios e lagos na região, com enfoque nos resíduos sólidos e líquidos. 

Questiono qual é o custo do saneamento para quem eu represento, os trabalhadores? O saneamento básico não pode ser deixado em segundo plano. É muito simples o gestor abrir mão do seu papel, e passar a responsabilidade para terceiros. 

Saneamento básico deve ser política pública de Estado, e não uma questão isolada dos municípios. Vamos levar o problema do saneamento básico à direção nacional da central para encaminhamento à Câmara Federal.

terça-feira, 13 de março de 2012

Brizola Neto deve ser o novo ministro do Trabalho

O deputado federal Brizola Neto (PDT-RJ) será o novo ministro do Trabalho. A presidente Dilma Rousseff (PT) aguarda apensa uma conversa com o presidente nacional do PDT e o ex-ministro do Trabalho, Carlos Lupi, para fazer o anúncio oficial.  

O comando da pasta ficou em aberto após a saída de Lupi em dezembro do ano passado, abalado por denúncias de irregularidades. Interinamente assumiu o secretário-executivo da pasta, Paulo Roberto Pinto.  

A demora na escolha do sucessor causava insatisfação no PDT, mas a falta de consenso dentro do próprio partido impedia a nomeação de um novo ministro. A bancada do partido na Câmara dos Deputados já foi consultada, e Brizola Neto tem apoio dos sindicalistas do PDT. O nome preferido de Dilma era o do deputado federal gaúcho Vieira da Cunha (PDT), mas ele não tem apoio da sigla e enfrenta resistências entre os petistas.  

Procurado, Lupi não confirmou a escolha e disse que caberá à presidente definir entre os três nomes apresentados. Além de Brizola Neto e Vieira da Cunha, o secretário nacional o PDT, Manoel Dias, também foi indicado. 

Fonte: Jornal do Comércio

segunda-feira, 12 de março de 2012

Imprensa nacional anuncia Brizola Neto como o novo Ministro do Trabalho

Em reunião realizada nesta segunda-feira, dia 12, em São Paulo, o Movimento Sindical do PDT paulista reforçou o apoio ao nome do deputado federal Brizola Neto (PDT-RJ) para o cargo de Ministério do Trabalho.

Na semana passa, Brizola Neto também teve seu nome indicado para o ocupar a pasta pelo Movimento Sindical do Rio Grande do Sul.

O jornalista do jornal O GLOBO, Ilimar Franco, informou na coluna Panorama Político nesta segunda-feira, que o deputado Brizola Neto será o novo ministro do Trabalho.


De acordo com o jornalista, a presidente Dilma Rousseff aguarda apenas uma conversa com o presidente do PDT e ex-ministro do Trabalho, Carlos Lupi, para fazer o anúncio oficial.

A bancada do partido na Câmara já foi consultada, e Brizola Neto tem o apoio dos sindicalistas do PDT. O jornalista informa ainda que o nome preferido de Dilma era o do deputado federal Vieira da Cunha (PDT-RS), mas ele não tem apoio do partido e enfrenta resistências entre os petistas.

Tímida queda na taxa Selic ainda é insuficiente

A tímida queda de 0,75% na taxa básica de juros da economia, a Selic, ainda é insuficiente para a geração de renda no Brasil, além de prejudicar a produção interna e em consequência o Produto Interno Bruto (PIB).

Essa baixa redução atrasa o consumo, não promovendo o desenvolvimento do país. A classe mais atingida é a que concentra as pessoas que estão conseguindo se tornar consumidores estáveis, ou seja, a classe dos trabalhadores. 

Neste momento de sofrimento com a desindustrialização, é imprescindível a queda dos juros, para não desaquecer a economia. Assim como os trabalhadores apostaram e aprovaram a política de Salário Mínimo, é fundamental que o Governo institua uma Política Industrial estratégica para o país. 

Agora, a produção e a geração de emprego e renda, o investimento maciço devem ser promovidos pelo governo, com políticas públicas de desenvolvimento, de saneamento e, principalmente, de educação, que podem transformar o Brasil efetivamente numa grande potência e não em um mercado especulativo.

sexta-feira, 9 de março de 2012

Audiência Pública não resolve problema dos Moradores; Segue faltando diálogo com a comunidade

A audiência pública ocorrida na última quarta-feira entre moradores dos bairros da Zona Norte (Rubem Berta, Passo das Pedras e Leopoldina) e a Secretaria Municipal do Planejamento, com a presença do secretário Márcio Bins Ely, não surtiu efeitos no que se refere à opinião dos moradores.

Segundo a líder comunitária Laura Elisa Machado, o secretário chegou com uma hora de atraso e os moradores, cada um, tinham apenas dois minutos para expor um série de conflitos e situações que as comunidades estão enfrentando com o novo tracejado no mapa proposto pela Prefeitura Municipal.


Dentre os principais problemas da proposta, está a divisão de bairros históricos, com comunidades que se negam a pertencer a outro bairro que não o seu origem, a dificuldade na inscrição das comunidades para que possam falar na última audiência pública com o poder municipal no dia 27 de março (embora não divulgada, na hora da inscrição no Centro, a comunidade deve apresentar a documentação como comprovante de residência e RG com foto) e a falta de atenção para o que é sugerido pelas próprias comunidades na questão da unificação de bairros.

As comunidades estão se reunindo desde o dia 29 de feveireiro em oito eixos temáticos para discutir as questões. A dificuldade é sistematizar rapidamente  as contradições quando se reúne grupos isolados nos eixos.

"Vamos ter que decidir, depois, tudo em uma grande e única assembleia com os oito eixos reunidos na Câmara no dia 27 de março. Vai faltar tempo e provavelmente aumentar as chances de dar tumulto, porque as comunidades querem receber a devida atenção sobre onde moram", informa a líder comunitária.

Líder comunitária, Laura Elisa Machado

As comunidades defendem que seja mantido a comunidade Jardim Leopoldina como se encontra e que o Passo das Pedras então se transforme em bairro dentro do traçado original. Já na questão da unificação, o pedido é que se crie um novo traçado unindo a comunidade do Costa e Silva dentro de um único novo bairro.

"Não pode ficar um conjunto habitacional de um lado, e outra parte em outro bairro, que o que está para acontecer", aponta Laura.

As comunidades clamam para que as discussões sejam realizadas dentro dos locais atingidos pelas mudanças. Também pedem que se priorize a regularização de moradores e áreas antes de se propor um novo traçado.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Movimento Sindical do PDT-RS define apoio a Brizola Neto para Ministro do Trabalho

O Movimento Sindical do PDT do Rio Grande do Sul definiu apoio ao nome do deputado federal Brizola Neto para Ministro do Trabalho. A decisão foi tomada por unanimidade em reunião realizada hoje na Sede do PDT-RS, em Porto Alegre. 



Para o presidente do MS-PDT, Cláudio Correia, “o deputado federal Brizola Neto representa o compromisso com a história do trabalhismo e com as lutas atuais dos trabalhadores e do desenvolvimento nacional”.

Neste Dia Internacional da Mulher, é importante termos a sensibilidade de valorizar estas guerreiras

Uma grande festa foi realizada em homenagem às mulheres na quarta-feira, dia 7, no Largo Glênio Peres, organizada pela Força Sindical-RS. 

Os shows foram uma homenagem às mulheres, sobretudo, às trabalhadoras que não têm acesso a espetáculos culturais, trabalhadoras que estão passando por aqui, inclusive, rumo a um terceiro turno de trabalho. 

No Dia Internacional da Mulher, é importante valorizar este dia e ter a sensibilidade de compreender estas trabalhadoras. 



Para o funcionalismo, é imprescindível ter a inteligência, a sabedoria, a compreensão e, principalmente, o tato feminino. 

O Mundo do Trabalho tem crescido mais e esse sentimento do certo, do errado, da ternura, do amor, é dedicado à mulher, que assume postos mais importantes no país, como a presidência da República, como o Tribunal Regional Eleitoral. 

Então, as mulheres estão na vanguarda pelo espaço conquistado e nós somamos diariamente a estes avanços. Tem que diminuir as diferenças entre homens e mulheres no mercado de trabalho e ampliar os direitos igualitários. Nada mais justo que ter um dia, uma semana e um mês para divulgar e celebrar a luta das mulheres pelos seus direitos. 

quinta-feira, 1 de março de 2012

Renda que mais cresce é a do empregado doméstico

Embora haja crescimento, os trabalhadores da área ainda recebem o menor salário médio comparado aos demais segmentos da economia 

Em uma economia que caminha rumo à formalização, a renda que mais cresceu em nove anos é justamente a do trabalhador com menor nível de registro em carteira: a dos serviços domésticos. 

Entre dezembro de 2002 e igual mês de 2011, o rendimento real desse tipo de ocupação cresceu 38%, maior variação entre os sete grupos de atividade pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e quase o triplo do aumento médio de 13% nas seis principais regiões metropolitanas do país.



Mesmo com a alta expressiva, o salário médio do empregado doméstico ainda é o MENOR de todos os segmentos da economia analisados pelo IBGE. Em janeiro de 2012, de acordo com a Pesquisa Mensal do Emprego (PME), era de R$ 669,70, equivalente a apenas 28% da renda de um ocupado na administração pública – R$ 2.300, a maior entre os sete setores.

Segundo especialistas, a pouca instrução é um fator estrutural por trás da remuneração menor dos serviços domésticos. 

É necessário que o governo invista em educação de base, em promoção da ciência e da tecnologia, em qualificação profissional, pois esta é também a única maneira de superar a crise econômica: oferecer aos trabalhadores maiores oportunidades de ampliar seus conhecimentos técnicos e práticos por meio de cursos profissionalizantes.