quarta-feira, 4 de abril de 2012

Governo anuncia implantação de 19 Conselhos de Competitividade

Durante a apresentação do Plano Brasil Maior em Brasília, nesta terça-feira, dia 3, foram anunciados os Conselhos de Competitividade, sendo esta instalação dos conselhos a grande novidade entre as medidas. Estive em Brasília juntamente com os diretores Luis Carlos Barbosa e Claudio Correa.

Neste mesmo dia, fui nomeado para um dos 19 Conselhos Setoriais de Competitividade, órgão que tem o papel de sugerir e até mesmo criar políticas para a indústria nacional.

Este é um sinal de abertura do governo aos trabalhadores. Sem dúvida, os conselhos são importantes, mas como medida em longo prazo. Os conselhos serão compostos de cerca de 600 representantes do governo, dos empresários e dos trabalhadores.





Já as medidas econômicas concretas e imediatas são fracas, pois não se viu ações que garantam o emprego, enquanto foi anunciada a injeção de incentivos na indústria. Foi anunciada ainda a desoneração da folha de pagamento, mas também sem garantias ao emprego. Sobre os setores industriais priorizados, o número foi considerado baixo. O país tem mais de 100 setores industriais. Contemplar uma minoria não adianta. 


Não houve intenção de mexer no juro do consumidor que usa cartão de crédito, no juro bancário em geral, além da pouca clareza em como se pretende proteger a indústria nacional com regras para os produtos importados e melhorar o emprego.

A classe trabalhadora vai seguir mobilizada realizando atos e passeatas em defesa do emprego e da renda, junto com estudantes e empresários. O objetivo é pressionar o governo e informar a sociedade sobre os problemas e a desindustrialização.

Quase tudo que se viu anunciado já vinha sendo feito em algum ministério ou secretaria de governo.  A novidade é a Medida dos Portos e os conselhos, mas precisamos de medidas a curto e médio prazo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário