sábado, 29 de junho de 2013

Dia da Telefonista

Neste dia 29 de junho também lembramos o dia de uma profissional fundamental, principalmente para o bom funcionamento e mediação da comunicação nos ambientes corporativos. Parabéns às telefonistas pelo seu dia!


Dia do Pescador

Hoje é Dia do Pescador. Dia de lembrar a importância desta atividade milenar e sua luta constante pelo reconhecimento e condições dignas de trabalho. Parabéns, pescador!


sexta-feira, 28 de junho de 2013

NOTA DE SOLIDARIEDADE

Manifestamos apoio e solidariedade aos moradores e comerciantes do bairro Cidade Baixa que, ontem, durante a manifestação, foi mais uma vez alvo do vandalismo.

É inaceitável que as autoridades e os órgãos que deveriam proteger os cidadãos permitam que um bairro da nossa cidade se torne cenário constante de ataques criminosos. Não cabe aos moradores a responsabilidade e o risco de coibir tais atos, mas sim ao Governo e à Brigada Militar, que tem deixado a região constantemente exposta a estes atos, atuando somente após a passagem da verdadeira onda de destruição causada por estes marginais.

Segurança se faz com prevenção. Não podemos mais permitir que a população fique exposta a ações criminosas, enquanto a polícia nada faz. Exigimos providências do Governo do Estado e da Brigada Militar para barrar estas investidas direcionadas que têm deixado um rastro de medo, indignação e destruição na Cidade Baixa.

Foto: Diego Vara / Agencia RBS

quinta-feira, 27 de junho de 2013

ACORDA GOVERNADOR!

A tentativa de esvaziar a manifestação em Porto Alegre capitaneada pelo Governo do Estado mostrou-se apenas um lance de ingenuidade, irresponsabilidade e oportunismo político.

Ao buscar atrair o movimento para a Praça da Matriz, concentrando ali o principal efetivo da Brigada Militar, a ação comandada pelo governador Tarso Genro expôs à violência o restante dos arredores do centro da cidade.

Por conta dessa tática, que também apostou na despolitização da manifestação, por meio da utilização de “shows” musicais no ambiente, mais uma vez a Cidade Baixa e as lojas da João Pessoa, entre outras áreas, acabaram sendo o alvo do vandalismo e dos roubos.

A iniciativa do Governo do Estado foi acompanhada de anúncio de “passe livre” para a Região Metropolitana, medida discutível sem um maior debate sobre as fontes de financiamento da gratuidade, que claramente busca constranger os Executivos Municipais.

Ainda colaborou para amplificar o vandalismo a aposta em legitimar uma “direção” dos manifestantes que, até então ou encontrava-se mascarada, ou de fato não representa o sentimento da maioria das pessoas que foram as ruas.

As pessoas não estão nas ruas só por passe livre, mas por atendimento de saúde decente, com postos de saúde abertos 24 horas, educação de qualidade com melhores salários para os professores, melhoria dos serviços de transporte e seus modais, licitação do transporte interestadual e, não menos, investimento na economia.

Os trabalhadores não vão pagar a conta.

Acorda Governador!

As 5 medidas que realmente queremos

Cinco medidas e nada concreto. Veja o que precisamos discutir à respeito dos pactos propostos pela presidente Dilma:

1 - Responsabilidade Fiscal

A presidenta afirmou que vai tomar medidas para garantir a estabilidade da economia. Mas responsabilidade fiscal é uma coisa que não teremos no Brasil sem uma nova tabela do Imposto de Renda, sem o fim o Fator Previdenciário e  do spread bancário. Também precisamos ter uma política clara de inovação e fortalecimento da indústria nacional, combatendo a desindustrialização, lutar pela redução de juros e, principalmente, pela realização de um novo Pacto Federativo e reforma tributária. Precisamos discutir esse sistema, que retém na União 62% dos impostos pagos pelos brasileiros, além da totalidade das taxas e tributos embutidos nos produtos, que deveriam ser proporcionais à renda do consumidor.

2 - Reforma Política 

Precisamos esclarecer que reforma é esta. Precisamos garantir que não seja mediante voto em lista, para que, aqueles que estão no poder, não se perpetuem. A promiscuidade em nome da governabilidade nas coligações é outra questão que deve ser contemplada, bem como um limite de mandato, o fim do coeficiente eleitoral, voto distrital com recall e a discussão dos financiamentos de campanha.

Precisamos acabar com financiamentos públicos de campanhas eleitorais, estabelecendo que o processo ocorra via pessoa física, com comprovação mediante Imposto de Renda. Também precisam ser proibidos os financiamentos eleitorais de empresas e seus executivos, que prestem qualquer tipo de serviço público.

O combate à corrupção é salutar, é imprescindível. O governo está fazendo a sua parte, mas precisamos garantir que a justiça também faça, acabando com a morosidade no andamento dos processos. Além de reforma política, precisamos de uma reforma no Código Penal.

3 - Saúde


O governo afirmou que vai incentivar a ida de médicos às regiões mais necessitadas, abrindo a possibilidade de contratação de médicos estrangeiros para suprir a demanda. Uma medida paliativa - o mesmo que tratar de qualquer doença receitando paracetamol. Precisamos investir nos profissionais da Saúde, instituir carreira médica e também garantir que, quem estuda em instituição pública, devolva investimento através de prestação de serviço à sociedade.

Também precisamos resolver o grande problema dos hospitais filantrópicos, que é a falta de leitos. Não adianta dizer que vamos resolver o problema de leitos trocando pela divida dos hospitais filantrópicos. Estes já estão com a capacidade esgotada.

Além disso, Saúde deve ser tratada na prevenção, garantindo atendimento 24h  nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e não apenas nas Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs). Outro registro que vale a pena lembrar, é que na região metropolitana de Porto Alegre não são construídos hospitais há mais de 30 anos. Pelo contrário, vimos foi o fechamento de hospitais.

4 - Qualidade do Transporte Público


O governo afirmou que irá tomar medidas como desonerar em 7,23% os custos das empresas, isentando de PIS/Cofins os serviços de transporte coletivo rodoviário, metroviário e ferroviário, além de retirar o IPI na compra dos chassis dos veículos. Mas não é o bastante, nem o ideal. Precisamos discutir a qualidade dos serviços, repassar a CIDE (Contribuição de Intervenção do Domínio Econômico) para os municípios, para que eles possam custear as isenções oferecidas.

Além disso, o governo anunciou que irá destinar R$ 50 bilhões para obras de mobilidade, mas não explicou que obras são essas, nem onde elas serão realizadas. Hoje já vemos várias obras, inclusive da Copa, paralisadas, esbarrando nos mais diversos entraves, como questões de moradia e ambientais. Precisamos estudar outros modais de transporte, que sejam mais viáveis.

O governo também anunciou a criação do Conselho Nacional de Transporte Público. Precisamos garantir que este órgão seja tripartite e que atue na regulação do município, do estado e da União.

5 - Educação


Primeiro, é preciso priorizar o cumprimento do piso nacional para os professores nos estados e municípios e a viabilização das escolas de turno integral. Dilma afirmou que 100% dos royalties do petróleo e 50% dos recursos do pré-sal serão investidos em educação, mas acreditamos que 10% do orçamento da União contemplam muito bem a demanda.

-----------

Podemos incluir ainda o cumprimento de uma medida número 6, referente à Agenda dos Trabalhadores, aprovada no 2º Conclat e referendada na 7ª Marcha da Classe Trabalhadora em Brasília, realizada no mês de março:

- 40 horas semanais sem redução de salários;

- Fim do Fator Previdenciário;

- Reforma Agrária;

- Igualdade de oportunidade entre homens e mulheres;

- Política de Valorização dos Aposentados;

- 10% do PIB para Educação;

- 10% do Orçamento da União para a Saúde;

- Ampliação do investimento público;

- Regulamentação da Convenção 151, da OIT (convenção coletiva do funcionalismo público);

- Ratificação da Convenção 158, da OIT (demissão imotivada);

- Correção da Tabela de Imposto de Renda.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Um governo que ignora os trabalhadores

Inaceitável o resultado da reunião desta quarta-feira, 26 de junho, da presidente da República, Dilma Rousseff, com as Centrais Sindicais. Mesmo diante da gravidade do momento, a presidente limitou-se a dizer que a reunião tinha por objetivo apenas ouvir sugestões para um futuro plebiscito. Ou seja, nem a crise foi capaz de sensibilizar a representante maior do governo, que continua a só ter olhos para os empresários.

Nós temos compromisso com a defesa da democracia, e repudiamos qualquer tentativa golpista, mas não podemos aceitar que trabalhadores sejam ignorados. Exigimos o cumprimento da já histórica PAUTA TRABALHISTA, entregue à Presidente da República antes mesmo de sua eleição, e reafirmada nas ruas por várias oportunidades. Os trabalhadores sustentaram com mobilização, trabalho e consumo o combate à crise que, felizmente, não atingiu o Brasil.

Defendemos o fim do Fator Previdenciário, a valorização dos aposentados, a correção da tabela do Imposto de Renda e a destinação de 10% do PIB para a educação e 10% do orçamento da União para a saúde. Também somos contra a aprovação da PEC 4330/04, que permite a prática da terceirização de serviços em todas as atividades das empresas e órgãos públicos, precarizando as condições de trabalho. E exigimos a reforma agrária e o fim dos leilões do pré-sal, que comprometem a soberania nacional.

Também defendemos a mudança dos rumos da economia, com política industrial, qualificação da mão-de-obra nacional, redução de impostos e juros baixos. Por outro lado, é decisivo implantar uma Reforma Tributária no país, que redistribua de forma equânime os impostos nacionais, sem penalizar Estados e Municípios em favor da União. Ao mesmo tempo, temos de distribuir as responsabilidades sobre os custos dos serviços públicos, dividindo com os empresários o financiamento da infra-estrutura nacional.

Se a presidente Dilma Rousseff acredita que vai manter, diferente do Governo Lula, a postura distanciada dos trabalhadores, comete um grave erro histórico, que compromete o equilíbrio da sociedade brasileira. Ninguém governou o Brasil até hoje apelando apenas para a cooptação dos trabalhadores, ou de qualquer setor, sem qualquer compromisso com os seus interesses objetivos. Por isso, vamos marchar de hoje até o dia 11 em todas as cidades do país, somando-nos a todos que exigem respeito, dignidade no trabalho e direitos.

Dia Mundial de Combate as Drogas.

Hoje é Dia Mundial de Combate as Drogas. As drogas já se tornaram um mal social em todo mundo. No Brasil, os dados são particularmente alarmantes. Por isso, não deixe este mal alcançar você. A vida é nosso bem mais precioso, cuide da sua.


segunda-feira, 24 de junho de 2013

Câmara na Cidade - Horários

Hoje vai ao ar o programa Câmara na Cidade que gravamos lá na Tinga, sobre uma iniciativa dos moradores para reduzir um problema que aflige moradores em algumas regiões: o depósito irregular de lixo. Vamos mostrar algumas soluções possíveis e uma iniciativa muito legal que tem dado certo na região. 


O programa vai ao ar nesta segunda-feira às 20:30, na TV Câmara (canal 16 da Net e 61-4 em sinal digital).

Reprises:

25/06 (terça) - 21:30
26/06 (quarta) - 13:30 e 21:00
27/06 (quinta) - 21:30
29/06 (sábado) - 8:30 e 13:30

sábado, 22 de junho de 2013

Dia do aeroviário

Hoje é Dia do Aeroviário. Parabéns aos profissionais que sempre com muito carinho e atenção cuidam de nossas viagens sendo a trabalho ou a passeio, desempenhando função essencial. Grande abraço!

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Sobre protesto e mudança

Desde que iniciaram os protestos, meu filho, meus sobrinhos e seus amigos me disseram que eu não devia participar das manifestações, porque não queriam políticos, não queriam ninguém. Queriam liberdade. Fiquei assistindo a tudo com muito orgulho. Vendo meu filho, meus sobrinhos e seus amigos indo às ruas. Indo ao meu palco, ao meu terreno, aonde me criei, aonde me formei, aonde me forjei - na luta do dia a dia.

Fiquei acompanhando esses dias o movimento. Uma leve dor no fundo do coração. Estava se aproximando a Copa das Confederações. Fui e sou um grande crítico da Copa. Quando Pelé e Lula festejaram que a Copa do Mundo seria no Brasil, senti uma tristeza, porque sabia que não seria apenas ir ao Maracanã, ao Pacaembu e demais estádios reformados, ou comer um churrasquinho, um acarajé, um entrevero, tomar uma pinga, um Guaraná Jesus. Seria a abertura do cofre, gastando bilhões e bilhões que sairiam da Saúde, da Educação e Moradia, para a construção de monumentos. E também, a entrega do Brasil para intervenção da FIFA. Aí, teriam início a Copa das Confederações e o movimento perderia a sua força.

Mas não. Os meninos e meninas, os de meia-idade, os idosos, se incorporam e seguem nas ruas. Ontem, após a CPI da Telefonia, disse ao meu filho, seus amigos e aos meus amigos: "Hoje tem caminhada. Vamos para a caminhada". Quase todos disseram "não, não vai", "o pessoal não quer político", "vão te bater", etc. Fiquei quieto ouvindo todos os argumentos, tudo aquilo.

Enquanto falavam, vieram várias lembranças na minha cabeça. Minha primeira greve, por um par de sapatos numa obra, para poder trabalhar com dignidade, sem machucar meus pés. Minhas lutas no movimento estudantil, campanha pelas Diretas, anistia, Greve Geral de 79, de 81, os encontros da classe operária, o Conclat, as centenas de greves, passeatas, mobilizações, o Impeachment do Collor, as prisões, os ossos quebrados, as camas de hospital, os momentos que perdi na vida junto dos meus familiares, amigos, as pessoas que eu amo - aniversários, nascimentos, mortes, momentos que jamais voltarão, que jamais recuperarei, de carinho, conforto, beijos que não dei na minha amada, festas que não fui, momentos que não fiquei com meu pai e minha mãe, e por aí afora.

Meus olhos lacrimejaram e disse para eles que estavam enganados. Não sou uma tartaruga que volta para morrer na praia ou um elefante que se recolhe na ravina. Disse que "se está chegando o meu fim, que o meu fim seja no meu palco. Hoje eu vou nessa caminhada. Porque se hoje essa juventude vai para a rua, muitos por 'achar legal', por achar que tem algo para lutar, eu vou porque eu vivi a minha vida inteira lá".

E vou dizer pra essa juventude que algumas coisas avançaram e muito mais precisa avançar. Pra isso acontecer, eles têm que entender que é preciso fazer um novo Pacto Federativo. A União detém 62% dos impostos e o município fica com 14%. Temos que inverter isso. Temos que fazer uma reforma política, séria e de fato. Não com voto de lista, que falam e propagandeiam os políticos, mas com voto distrital, clareza nas doações de campanha, limites de mandato e o fim das políticas de coligações. E uma justiça que seja justa, rápida. É necessária uma reforma no Judiciário. Além disso, mais hospitais para o Programa de Saúde da Família, Postos de Saúde 24h, 10% do orçamento para a Educação, com todas as Escolas de Turno Integral, uma nova tabela de Imposto de Renda (não pode um trabalhador que ganha R$ 1.400 de salário pagar 7% de imposto de renda) e auditoria nas obras da Copa.

Fui para as ruas. Andei pelo grande palco: Andradas, Borges e no Paço Municipal, onde estive nas Diretas, no Impeachment. Tirei foto, dancei, cantei, gritei. Fui o que eu sou: o bom e velho Janta. O bom e velho guerreiro. Vi alegria nos olhos dos jovens, das pessoas da minha idade, nos idosos.

Mas nós temos que ter cuidado. Como todos os movimentos que participei, sempre tem os infiltrados. As pessoas de bem estavam de cara limpa. No máximo, com uma tinta na cara, um batom na boca, uma pintura nos olhos. Os marginais, a extrema da extrema direita, ou a extrema da extrema esquerda, ou os que pregam o estado da anarquia e da desordem, que não querem soluções para os problemas concretos, taparam seus rostos. Quem não tem vergonha do que faz, quem faz o que é certo, não precisa se esconder atrás de máscaras.

O movimento está alcançando força. Mas os nossos objetivos de um Brasil mais justo para todos, não vamos alcançar somente com passeatas e caminhadas. Todo apoio à paralisação nacional. Rumo à greve geral.

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Vem pra rua!

Hoje Todos à manifestação!

Os trabalhadores de Porto Alegre também querem mais e melhor! É hoje, pessoal! Todos na rua por uma vida melhor.

TODOS À LUTA! RUMO À GREVE GERAL DOS TRABALHADORES.


Dia do Vigilante

Hoje se comemora um dia muito especial, o Dia do Vigilante. Parabéns a todos os profissionais que todos dias enfrentam perigo para garantir a nossa segurança. Parabéns!


quarta-feira, 19 de junho de 2013

Palestra na Faculdade São Judas Tadeu

Na noite da última terça-feira (18) dei uma palestra sobre a CUTHAB na Faculdade São Judas Tadeu para os alunos do curso de Administração. A atividade integrou a disciplina de gestão pública ministrada pela professora Luciana Oliveira.

Como integrante da Comissão de Urbanização Transporte e Habitação, expliquei a dinâmica de trabalho e as principais demandas que chegam à câmara.

Escolhi integrar a Cuthab porque temos muitos desafios pela frente. Temos mais de 700 ocupações em Porto Alegre e ainda precisamos avançar buscando dignidade para muitas famílias. Presenciei muitos casos em que as pessoas sequer têm água encanada ou condições básicas de sobrevivência. É uma triste realidade que acontece na nossa cidade.

Atualmente as questões mais presentes e discutidas na Cuthab são referentes à ocupação de terras. Nesta gestão, a Comissão pretende fazer um projeto de lei geral para orientar nessas questões.

É um trabalho muito difícil, existem processos que se arrastam já por vinte anos. Teria que existir uma política nacional, porque o governo federal é que detém 62% de todo imposto pago, apenas 14% vai para o município, que é o responsável, por educação, saúde, habitação, e uma série de coisas, só que o dinheiro está lá em Brasília, é lá que deveria se desenvolver políticas, é lá que tem que se fazer um pacto federativo, então nós temos que começar a exigir.

 Ao final da atividade recebi um certificado da Professora Luciana que agradeceu a participação e contribuição ao curso.

terça-feira, 18 de junho de 2013

Dia dos Químicos

Hoje é comemorado o Dia do Químico. Parabéns a estes profissionais que orientam para as boas práticas de laboratório, os cuidados com o meio ambiente além de serem indispensáveis para a nossa evolução.




sábado, 15 de junho de 2013

Dia do Paleontólogo

Hoje é dia dos profissionais que se dedicam a nos trazer conhecimento através do estudo da vida no passado. Não raro, os paleontólogos são confundidos com outro cientista que se dedica a estudar o passado: os arqueólogos. Na verdade, enquanto os arqueólogos estudam as culturas e os modos de vida humana de antigas civilizações através da busca de vestígios materiais, como objetos e antigas construções , o paleontólogo se dedica ao estudo da vida  através dos fósseis – que são partes do corpo de animais preservadas através dos anos embaixo da terra, das rochas, ou na água.

Parabéns a estes investigadores da natureza e produtores do conhecimento! 



Palestra na PUC-RS


Na noite da última sexta-feira (14) estive na PUC, onde realizei uma palestra para alunos de Pedagogia, Serviço Social e Direito sobre Ética na Política. A atividade aconteceu na disciplina de Ética e Cidadania, ministrada pelo professor André Brayner de Farias.

Ao me apresentar respondi de imediato os questionamentos dos estudantes sobre o tema. É difícil pensar ética na política enquanto se tem um pensamento do povo que o político não fez nada antiético, enquanto ele rouba, desvia milhões da educação, da saúde, etc, e o povo acha isso normal. O povo é quem elege e reelege os políticos corruptos.

Citei como exemplo os escândalos no congresso brasileiro que envolveram senadores que continuam na política e foram reeleitos pelo povo. A ética está nos pequenos detalhes, que, na verdade, são grandes detalhes que fazem a diferença.

A política está uma vergonha, eu pensei muito antes de entrar, várias pessoas me disseram para não fazer isso, mas através das minhas lutas eu acredito que estou dando uma contribuição . Antes de ter ética na política é preciso ter ética na vida.

Contando um pouco da minha trajetória política e falando de importantes projetos que já foram protocolados no legislativo,  expliquei que entrei no meio para defender os trabalhadores, que é a classe que eu represento, por isso me sinto na obrigação de prestar contas à sociedade sobre o trabalho que venho desenvolvendo na Câmara de Porto Alegre, e que hoje em dia as redes sociais são uma importante ferramenta para este fim.

É necessário fazer uma reforma política e que as ações precisam ser mais transparentes. Vocês tem o poder de fiscalização nas mãos. É o povo que precisa se indignar, cobrar e exigir.



sexta-feira, 14 de junho de 2013

Entrevista sobre CPI da Telefonia no programa TVCOM 20 Horas

Durante minha participação no programa TVCOM 20 Horas, na quinta-feira (13/6), expus novamente minha indignação com elação a ausência dos colegas edis na reunião da CPI da Telefonia. Marcada para as 9h, no encontro seria ouvido o gerente regional da Anatel, João Bettoni. Já na segunda chamada realizada às 9:40, foi registrada a presença de apenas três vereadores.

O programa tem a apresentação de Leo Sabala e da colunista da página 10 do jornal Zero Hora, Rosane de Oliveira. 


Ao vivo o gerente regional da Anatel respondeu o meu questionamento: Só a instalação das antenas ira resolver a questão da telefonia em POA. João Bettoni informou que é necessário mais investimentos por parte das operadoras para melhorar os serviços.

Não vou desistir da CPI porque isto é interesse da população, que não pode ficar a mercê da falta de comprometimento de alguns representantes. A sociedade deve ir para a Câmara de Vereadores e fiscalizar!

Dia da Manicure

Hoje é dia delas. Parabéns a todas as profissionais que são sinônimo de cuidado e delicadeza, contribuindo para a auto-estima e bem-estar ao prestar os seus serviços. 


quinta-feira, 13 de junho de 2013

A quem interessa?

A quem interessa não haver quórum na CPI da Telefonia de Porto Alegre? Com certeza não é à população e usuários de celulares da nossa cidade. Marcada para as 9h, a reunião, onde seria ouvido o gerente regional da Anatel, João Bettoni, teve a segunda chamada realizada às 9:40, registrando a presença de apenas três vereadores.

Agradecemos a presença do depoente, que prontamente se dispôs a comparecer e que será ouvido em outra oportunidade. Agradecemos também a presença dos funcionários da Câmara Municipal de Porto Alegre e da imprensa, que tiveram o compromisso que os vereadores da cidade não tiveram.


Dia de Santo Antônio

Hoje é dia de Santo Antônio, o Santo casamenteiro, o lírio entre os santos. Que ele proteja a todos nós.


quarta-feira, 12 de junho de 2013

Feliz Dia dos Namorados!

Amigos, que esta quarta-feira, seja de muitas alegrias, repleta de harmonia e que transborde de amor e de paixão nos corações, pois é Dia dos Namorados! Surpreenda, viva e ame muito!



domingo, 9 de junho de 2013

Dia do Porteiro

Hoje é dia de lembramos de um profissional muito querido e presente no dia a dia da maioria de nós: o porteiro. Parabéns a todos estes profissionais que com disposição e simpatia desempenham com responsabilidade sua função, recepcionando e garantindo um pouco mais de segurança nos nossos lares e ambientes profissionais.


quinta-feira, 6 de junho de 2013

Procempa sob nova direção

Hoje pela manhã o prefeito José Fortunati apresentou em entrevista coletiva no Paço Municipal os resultados da inspeção especial que apurou ocorrências na Procempa e anunciou as providências que serão adotadas pela administração.



Conforme o prefeito, o levantamento foi iniciado em 17 de abril por servidores da Secretaria Municipal da Fazenda e da Procuradoria-Geral do Município. O relatório vai ser encaminhado ao Ministério Público para que sejam tomadas as medidas cabíveis conforme o órgão achar necessário. Como principal providência, Fortunati anunciou a instauração de uma sindicância. Na oportunidade foi divulgado o novo presidente interino da Procempa, Maurício Gomes da Cunha.



Maurício é advogado graduado pela PUCRS e atua na prefeitura desde abril de 2005, atualmente vinculado à Procuradoria-Geral do Município. Conforme anunciado pelo prefeito, o novo presidente interino está mandatado a afastar qualquer servidor que eventualmente não colaborar com as próximas investigações.

Seguiremos acompanhando os desdobramentos das investigações, que já denotam os esforços da prefeitura em apurar todas as ilicitudes e punir os respectivos culpados. A Procempa é nossa e vamos defendê-la.

quarta-feira, 5 de junho de 2013

O PRÉ-SAL É NOSSO!

Se inicia um novo surto privatista pelo Governo Federal. Os leilões de petróleo dirigidos pelo Governo Dilma contrariam os seus discursos da campanha eleitoral. Na campanha eleitoral, a presidente Dilma acusava Serra de querer privatizar o Pré-Sal.

Este eminente ataque à soberania do Brasil, gerido pelo Governo Federal, comprometerá o desenvolvimento estratégico da nação e impactará negativamente as futuras gerações de brasileiros, pois pelo formato dos leilões, as reservas do Pré-Sal serão reduzidas em pouco mais de uma década.

Segundo especialistas, com essa política o Brasil vai negociar a sua maior riqueza natural e energética, que é o petróleo, por cerca de 100 dólares o barril esgotando as reservas em 10 anos. Logo depois, o Brasil terá de pagar pela importação de petróleo, pelo preço de mais de 200 dólares o barril, pois ficaremos sem reserva de petróleo nesse mesmo período.

Nos últimos 13 anos em que vigorou os contratos de risco, envolvendo vários blocos do pré-sal, as empresas estrangeiras não fizeram nenhuma descoberta. No entanto agora, essas mesmas empresas são premiadas com um “negócio da China”, que é participar de leilões de reservas milionárias de petróleo, descobertas pela Petrobrás.

Getúlio Vargas criou a Petrobras, com o apoio do povo brasileiro, o mesmo que foi para as ruas fazer a defesa da Petrobrás. Ao mesmo tempo, o povo brasileiro não foi beneficiado com investimentos em saúde e educação, para poder investir em pesquisa e desenvolvimento da Petrobrás, como promessa de um futuro de desenvolvimento provenientes da riqueza do petróleo nacional. Mas agora, o Governo Federal quer entregar todo esse patrimônio às empresas internacionais.

Os Leilões são um sistema de partilha, conforme a Lei 12.351. De acordo com essa Lei, a Petrobrás deveria ser a operadora de todos os blocos contratados sobre regime de partilha de produção. Nesse sistema, a Petrobrás teria participação mínima de 30% sem ter a necessidade de participar do Leilão.

No entanto o Ministro de Minas e Energia Edson Lobão, a intenção do governo é que a Petrobrás participe apenas com esse índice mínimo obrigatório por Lei, ou seja, o objetivo é claro: Reduzir o potencial de participação da Empresa para beneficiar as multinacionais, principalmente as grandes multinacionais.

Esse assunto é muito sério, pois é com esses recursos advindos do Pré-Sal, que o povo brasileiro espera dar o salto de educação e melhoria de vida da população brasileira, esperada há tantos anos.

O Petróleo é Nosso!

Dia do Meio Ambiente


No dia 5 de junho é comemorado o Dia do Meio Ambiente. A data foi definida pela Assembleia Geral da ONU em 1972, para marcar a abertura da conferência de Estocolmo e, no mesmo dia, foi criado o Programa Ambiental das Nações Unidas. A instituição do Dia do Meio Ambiente é uma ação para chamar a atenção para como afetamos a natureza e, de fato, temos muito a refletir acerca do impacto e da velocidade com que ele tem se dado, sobretudo nas grandes cidades.

Conciliar o desenvolvimento e a sustentabilidade é um dos maiores desafios de hoje para os governos e para a sociedade. Um não pode excluir o outro, demandando muito debate para a chegada de acordos que possam contemplar as necessidades de hoje, sem gerar problemas ainda maiores no futuro.


terça-feira, 4 de junho de 2013

Programação do 7º congresso estadual da Força Sindical

Na próxima sexta-feira (7/06) acontece o 7º congresso estadual da Força Sindical no Rio Grande do Sul. As atividades serão realizadas na sede recreativa do Sindec/POA (Av. Guaíba, 1001 - Bairro Ipanema - Porto Alegre), voltadas para a garantia de conquistas, mais empregos, direitos, cidadania e Trabalho Decente.

Participam dirigentes sindicais de todo o estado, deliberando a respeito de políticas para o Mundo do Trabalho e novos rumos para o movimento sindical. Programação abaixo: