terça-feira, 25 de novembro de 2014

Secretário comparece para discutir CPI da Saúde

Ontem na tribuna dissemos ao secretário municipal de Saúde, Carlos Casartelli, que a Câmara é uma casa política, e nós discutimos política. Então a maioria dos vereadores não têm nada contra a sua pessoa, mas temos muito contra a sua gestão na Saúde. O secretário deveria ter se informado antes de vir falar da CPI que estamos falando, da CPI para a qual já temos dez assinaturas na Casa e para a qual estamos esperando a bancada do PT assinar, porque ainda não assinou e, se assinar, nós iremos fazer, inclusive a pedido do próprio secretário.

No dia 08 de janeiro deste ano, Casartelli disse na imprensa que a Câmara deveria fazer a CPI, que ele não temia a CPI. Depois, no dia 6 de março, repetiu isto, que não temia a CPI. Eu sou um dos proponentes desta CPI, e não tem nada do que o secretário falou na tribuna que esteja entre os tópicos que justificam o requerimento. A única coisa é um livro que custa R$ 15,00 a unidade, um livro que seria campeão de vendas na Feira do Livro e não apareceu em nenhuma edição da Feira do Livro.



O que tem no requerimento é morte. Eu estou pedindo esta CPI junto com os vereadores desta Casa, porque estamos falando de duas mortes de que tivemos conhecimento, por falta de atendimento, baseadas no art. 2º da Constituição Federal, a saúde é um direito fundamental do ser humano. E as pessoas morreram por falta de atendimento da SAMU. E, hoje, nós temos uma SAMU disponível aqui na Câmara de Vereadores.

Nós estamos pedindo a CPI por causa das imagens que exibimos no telão. E quando os Vereadores vêm aqui e falam da questão da saúde e da ambulância, eu quero dizer para os meus colegas que eu não estou falando do Grupo Hospitalar Conceição, da Santa Casa, do Cristo Redentor, eu não estou falando do Hospital de Clínicas, que são quem recebem as ambulâncias! Eu estou falando é do Postão da Cruzeiro, estou falando é do Postão da Bom Jesus, eu estou falando do Postão lá do Campo da Tuca, estou falando das unidades básicas lá da Restinga, estou falando das unidades básicas do Extremo-Sul, estou falando das unidades básicas da Lomba do Pinheiro, estou falando das vilas de Porto Alegre que querem atendimento, e estou falando disso aí! Isso aí é vida!

É disso que nós estamos falando quando pedimos CPI nesta Casa! Quem não deve, não teme. Nós estamos falando em CPI, secretário, por causa da Ecosul Ambulâncias. Estamos falando em CPI, por causa das terceirizações na questão da segurança nos postos, da reação da Segtel. Nós estamos falando de R$ 1,2 milhão gasto mensalmente em laboratórios. Por que não fazem licitação? Por que não usam o laboratório da Cruzeiro?

Estamos falando em nome da Dona Josefina, que aguarda por uma consulta há dois anos; nós estamos falando em nome da Dona Teresinha, que aguarda por uma consulta há três anos; nós estamos falando em nome da Dona Vânia, que aguarda por uma consulta há quatro anos; nós estamos falando em nome dessas pessoas.

O próprio secretário, por duas vezes, disse para a imprensa que não temia a CPI. Então, peça para a sua base assinar a CPI. Peça para a base que está à vanguarda com o senhor no Governo do Estado assinar a CPI. Eu queria perguntar quantos CCs tem a Secretaria da Saúde? 


Eu queria perguntar por que a Secretaria da Saúde abre mão de receita, já que o orçamento deste ano vem diminuindo o número da receita; e, principalmente, esta Casa aprovou, ano passado, a abertura de 17 postos de saúde com atendimento até as 22h, por que o senhor não abriu esses postos de saúde ainda, já que tem receita para isso, e tem funcionários para isso?

Nenhum comentário:

Postar um comentário