quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Governo Dilma: pedalou, dançou!

Na Tribuna - 08/10/2015

Um dos temas mais discutidos nas tribunas hoje, foi a rejeição do Tribunal de Contas da União (TCU) às contas do governo Dilma. Não adianta querer desqualificar o relatório, dizer que o ministro está envolvido na Zelotes, até porque nesta operação estão envolvidos pensadores, consultores dos próprios governos Lula e Dilma. 

E este governo tem uma prática que se vê muito. Nós, que temos participado de muitos atos pedindo que a podridão deste país saia debaixo dos tapetes e venha a público, não vamos nos surpreender se atos forem criminalizados, assim como fez a Venezuela, onde Leopoldo López cumpre pena hoje por fazer oposição.

A presidente Dilma foi derrotada por maioria absoluta do TCU e tentou, através de uma política com a qual o povo já está acostumado, manchar a imagem de um dos membros. E o seu ministro, indicado pelo seu governo, negou o pedido.

Não existe, afinal, tanta honestidade em uma presidente que tira R$ 9,8 bilhões da Saúde, que acaba com seguro-desemprego, ataca o seguro-defeso, que faz um jogo político infantil de pegar uma parte do PMDB, seu aliado, e sofrer duas derrotas seguidas no Congresso Nacional. 

A presidente Dilma, que teve reaberto o seu processo por ter fraudado as eleições, não é o baluarte da seriedade, muito menos da honestidade, porque mentiu. Mentiu para os trabalhadores e para todos os seus eleitores. Falou, como já lembramos aqui e repetimos, que "nem que a vaca tussa" mexeria nos direitos dos trabalhadores.

Falou que ia acabar com o Fator Previdenciário. Mandamos e aprovamos no Congresso Nacional o projeto da fórmula 85/95 e ela vetou. E usou todos os seus poderes para manter este veto ao projeto, que poderia tirar da escravidão os trabalhadores brasileiros.

Disse que não iria aumentar os juros e o spread bancário, que vêm aumentando gradativamente. O reflexo está nos 9 milhões de desempregados neste país e sem nenhuma expectativa de geração de emprego e renda. 

Então, em relação a uma pessoa que foi para a televisão falar que não faria acordos com banqueiros, que não venderia o país, que não mexeria nos direitos dos trabalhadores... Não é surpresa que as contas tenham sido rejeitadas pelo TCU. 

A justiça está começando a ser feita e sua base está cada vez mais enfraquecida. "Pauta-bomba" é o que tem sido feito neste país, que só beneficia o sistema financeiro e sacrifica o trabalhador. Com muita força, fé e solidariedade, com certeza vamos mudar esta política podre que tem sido feita neste país.



Nenhum comentário:

Postar um comentário