quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Páscoa amarga para os trabalhadores: governo prevê congelamento dos salários

Depois de preparar vários "presentes" para os trabalhadores, o governo anuncia agora uma bomba de Páscoa: o congelamento do salário mínimo. A medida vem após uma série de cortes do Orçamento. 

No período de um ano, entre 2015 e 2016, foram cortados R$ 112,6 bilhões - recursos maciços da Saúde, Educação e do PAC. Junto a isso, o desemprego voltou com força arrasadora, somando 9,1 milhões de trabalhadores sem ocupação - mais de 180 mil pessoas perdendo seus empregos somente em Porto Alegre e região metropolitana.

Agora, o governo prepara o congelamento do salários e anuncia que não irá realizar mais concursos públicos, nem conceder aumento aos servidores federais, além de suspender todos os reajustes e concessões dos trabalhadores. Pune sua gente e não desonera impostos, para tentar buscar alternativas de crescimento para a economia, afinal, o Brasil precisa competir, não deixar produto chinês chegar aqui livre de impostos e sobretaxar seus próprios produtos. 

Vivemos uma realidade de recessão, de desemprego e de um governo cada vez mais ganhando às custas da sua gente. Essa é a Páscoa dos trabalhadores: aprofundamento da crise e congelamento do salário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário