quarta-feira, 13 de abril de 2016

Na tribuna: Repúdio a pediatra e ao Simers

Hoje a Câmara Municipal de Porto Alegre aprovou a moção apresentada em repúdio à médica pediatra que se negou a continuar atendendo o filho de uma vereadora suplente, por ela ser filiada ao PT, e também ao Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), por apoiar a atitude.


Nós, do Solidariedade, fazemos nacionalmente uma oposição ferrenha ao PT, mas jamais passou pelas nossas cabeças praticar uma política de ódio e muito menos uma política onde um inocente, como uma criança de um ano de idade, passasse a ser vítima deste tipo de política.

Negar atendimento a uma criança, baseado em uma questão ideológica dos pais, é insano e desumano. Se a criança tivesse necessidade de acompanhamento em função de uma doença grave, essa médica estaria assumindo simplesmente o lugar de Deus, relegando a vida de uma criança à própria sorte?

Se a ética e o bom senso deixam margem, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) é bem claro. Nas alíneas "a" e "b", do parágrafo único, no artigo 4º, fica expresso que devem ser garantidos pela sociedade em geral e com absoluta prioridade:

a) primazia de receber proteção e socorro em quaisquer circunstâncias;
b) precedência de atendimento nos serviços públicos ou de relevância pública.


Nossa solidariedade à vereadora Ariane Leitão, que acompanhou a votação da moção conosco, no plenário, à sua família e seu filho Francisco, que mesmo tão pequeno, foi vítima de tanta violência e ignorância.

Nenhum comentário:

Postar um comentário