segunda-feira, 25 de julho de 2016

25 de julho - Dia do Rodoviário, do Escritor e de São Cristóvão

Hoje é dia de saudar a todos os profissionais que dedicam o seu dia a dia a transportar os trabalhadores e suas famílias e que merecem todo reconhecimento pela importância vital do seu trabalho para o dia a dia, seja na cidade ou nas estradas. Parabéns, rodoviários! Sou sempre parceiro da luta de vocês!


No dia de hoje, em que também se celebra o dia de São Cristóvão, padroeiro dos rodoviários e dos motoristas, pedimos que ele esteja conosco nesta semana, em que teremos bastante estrada pela frente!


E encerrando as datas comemorativas deste dia 25 de julho, por último, mas não menos importante, o Dia do Escritor! Nossa homenagem a quem, através da escrita, conta histórias, faz arte, transmite cultura e conhecimento! Parabéns a quem tem o dom da palavra, parabéns aos escritores! 

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Dia do Amigo

Dizem que os amigos são a família que a gente escolhe. Então o dia de hoje é para celebrar um dos laços mais importantes da vida: a amizade. A todos que têm o prazer e o privilégio de partilhar, com sinceridade e franqueza, os risos, lágrimas, vitórias e derrotas, um feliz Dia do Amigo!


quinta-feira, 14 de julho de 2016

Na tribuna: O SIM que fez a diferença para a Saúde e a Educação

Hoje é um dia de celebração para nós, aqui na Câmara Municipal. Acompanhamos, nesta tarde a promulgação da emenda à Lei Orgânica que estabelece o compromisso do Município em prover recursos para a implementação do turno integral nas escolas e ainda celebramos a aprovação de outra emenda que muda a nossa Lei, garantindo a ampliação do atendimento nos Postos de Saúde de Porto Alegre.

Na tribuna, agradecemos em nome de todas as lideranças da nossa cidade, dos dirigentes sindicais que participaram do processo, das pessoas que se somaram ao abaixo-assinado, dos participantes das assembleias regionais e temáticas do Orçamento Participativo e da Conferência Municipal de Saúde, pela sensibilidade dos vereadores em atender a essa grande demanda da nossa cidade pelo investimento na saúde básica. É na priorização da assistência primária que aproximamos os serviços da população, focando em prevenção e desafogando as emergências.

Um agradecimento em especial à vereadora Jussara Cony, que com sua experiência sindical, de gestora e de parlamentar contribuiu muito para tornar possível a aprovação destes dois projetos, fazendo a mediação junto aos partidos de oposição, bem como o líder do governo Kevin Krieger, que também desempenhou um papel fundamental para viabilizar esta conquista junto aos vereadores da base. Obrigado a vocês e a cada um dos colegas por tornar estas conquista possíveis.



quarta-feira, 13 de julho de 2016

Na tribuna: Clamor popular não garante cumprimento das leis

Já que a discussão do tema tem sido trazida à tribuna, reforçamos que seria muito bom se a simples regulamentação dos aplicativos resolvesse os problemas de mobilidade da nossa cidade. Colegas frisam a existência de um clamor popular pela questão dos aplicativos. Ele existe, e beneficia uma grande multinacional que visa se instalar em Porto Alegre e acabar a atividade de outra categoria que, há dois anos atrás, foi demandada a ampliar seu serviço.

Os taxistas de Porto Alegre foram obrigados a instalar uma tecnologia de GPS para constatar a efetividade da frota e ainda pagaram caro por essa tecnologia, que nem ao menos funcionava. A EPTC retirou mais de 300 taxistas que não poderiam estar trabalhando no transporte de Porto Alegre e essas pessoas são as que estão migrando para os aplicativos. Prova disso é o rapaz que teria sido agredido, que é notícia hoje, que é um ex-taxista.

Unicamente pelo clamor popular, acham que teríamos que liberar os aplicativos. Se a lógica é essa, pelo clamor popular deveríamos reduzir o salário dos vereadores para R$ 900 reais e ter sessões plenárias todos os dias. Deveríamos acabar com as blitz da Balada Segura, liberar a bebida nos estádios.

Em São Paulo, os aplicativos foram regulamentados por um decreto do prefeito Haddad, semelhante ao nosso projeto, mas lá não é cumprida a lei. Aqui também não será, porque a própria empresa diz que não carece de regulamentação.

Por isso foram banidos de diversos países, porque só visam o lucro, não tem compromisso nenhum com a empregabilidade e ainda pulverização qualquer relação de trabalho. Mas só o dirigente sindical, que é o dinossauro, parece enxergar isso.

O clamor popular também manifesta o protesto das pessoas, que estão saturadas de tantos impostos, que reivindicam não ter que arcar com uma carga tributária tão alta e que, principalmente, as leis sejam cumpridas. Em Porto Alegre, temos uma lei em que proíbe camelôs nas ruas e tem essa lei que proíbe a atuação dos aplicativos. Ambas não são cumpridas. Então, com muita calma, vamos avaliar essa questão, para que consigamos aprovar leis que sejam feitas para efetivamente trazer avanços e, sobretudo, serem cumpridas.




terça-feira, 12 de julho de 2016

Dia do Engenheiro Florestal

Hoje celebramos o Dia do Engenheiro Florestal, o profissional responsável por analisar os ecossistemas florestais e planejar estratégias para que seja feito seu uso de maneira sustentável. Parabéns a todos que, com o seu trabalho, contribuem para o desenvolvimento com responsabilidade ambiental!


segunda-feira, 11 de julho de 2016

Nota oficial das centrais: Propor jornada de 80 horas semanais é uma provocação ao trabalhador brasileiro

A Força Sindical, junto às demais centrais de trabalhadores do Brasil, emitiram uma nota oficial no fim da semana em repúdio à declaração do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, pela sugestão de aumento da jornada de trabalho do brasileiro para até 80 horas semanais e 12 horas por dia - um total absurdo.

NOTA OFICIAL DAS CENTRAIS

Propor jornada de 80 horas semanais é uma provocação ao trabalhador brasileiro

Nós sindicalistas repudiamos a sugestão, proferida pelo presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, nesta sexta-feira (8), após uma reunião com o presidente interino Michel Temer e cerca de 100 empresários do Comitê de Líderes da MEI (Mobilização Empresarial pela Inovação), segundo a qual o Brasil deveria ampliar sua carga horária de trabalho em até 80 horas semanais e de 12 horas diárias para classe trabalhadora.

Neste momento em que as centrais sindicais buscam um diálogo, a fim de estabelecer um consenso benéfico para todos, tal afirmação, que faz lembrar a situação da classe operária do século 19, surge como uma provocação estapafúrdia ao povo brasileiro.

O que os trabalhadores querem e precisam é andar para frente, não retroceder na história. Neste sentido aproveitamos a oportunidade para reafirmar nossa bandeira pela redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais, sem redução de salário.

A proposta da jornada de 80 horas semanais vai na contramão de todos os estudos sobre o trabalho no Brasil. Pesquisas do Dieese, por exemplo, apontam que a adoção das 40 horas semanais poderá gerar mais de 2 milhões de novos postos de trabalho. Na mesma linha, estudos do Ipea apontam que uma jornada de 12 horas semanais seria suficiente para produzir a mesma riqueza produzida com uma jornada legal de 44 horas.

A elevação do nível de emprego e dos salários irá beneficiar todo o país e promover o crescimento da economia brasileira, fortalecendo o mercado interno, ampliando o consumo e estimulando os negócios no comércio e na indústria.

A adoção de uma jornada de 80 horas semanais, por outro lado, causará um atraso social, cultural e econômico, submetendo a classe trabalhadora a condições desumanas afetando (1) sua saúde e qualidade de vida; (2) sua possibilidade de escolaridade e conhecimento; (3) e reduzindo seu tempo de vida social e cultural.

Acreditamos que a redução da jornada de trabalho sem redução de salário é indispensável para ampliar a oferta de emprego, na medida em que os ganhos de produtividade – fruto do desenvolvimento tecnológico e de formas mais avançadas de gerenciamento – requerem essa mudança. Qualquer medida contrária só ampliará a precarização e retirará direitos consagrados pela luta histórica da classe trabalhadora.

As centrais sindicais conclamam à classe trabalhadora e ao conjunto do povo brasileiro para que se mantenham alertas, vigilantes e mobilizados para a luta contra o retrocesso neoliberal neste difícil momento da vida nacional, marcada por uma brutal ofensiva dos capitalistas contra o Direito do Trabalho, a democracia e a soberania nacional.

Adilson Araújo,
Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB)

Antônio Neto,
Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB)

José Calixto Ramos,
Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST)

Paulo Pereira da Silva,
Força Sindical

Ricardo Patah,
União Geral dos Trabalhadores (UGT)

Vagner Freitas,
Central Única dos Trabalhadores (CUT)

domingo, 10 de julho de 2016

84 anos de Sindec

Hoje o Sindicato dos Empregados no Comércio de Porto Alegre, o Sindec, comemora mais um ano de muito trabalho e luta em prol dos trabalhadores. Celebramos os 84 anos de existência desta entidade, que é uma referência no sindicalismo de Porto Alegre e do Rio Grande do Sul e que muito me orgulho em fazer parte. Parabéns a todos (as) que fazem este trabalho acontecer e todos os colegas comerciários. Vida longa ao Sindec!


segunda-feira, 4 de julho de 2016

Na Tribuna: Saúde básica fortalecida é sinônimo de prevenção

Hoje na tribuna não poderia deixar de me manifestar sobre a aprovação em primeiro turno do projeto que possibilita a ampliação do atendimento nos Postos de Saúde da nossa cidade. Em nome da população, de todos os participantes dos Fóruns Regionais do Orçamento Participativo que elegeram Saúde como prioridade, dos participantes da Conferência Municipal de Saúde e, principalmente, dos mais de 100 mil porto-alegrenses que integraram o abaixo-assinado que deu origem a este projeto de emenda popular, agradecemos a sensibilidade dos vereadores e do governo em relação a esta demanda.

Somos uma cidade que inova em muitos aspectos e, na Saúde, demos um passo importante à frente. Recentemente o Ministério da Saúde encaminhou um pedido ao Tribunal de Contas da União que comprova o que na prática nós estamos vendo: a impossibilidade dos Municípios de manter as Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs). A política de Saúde nos municípios não deve estar concentrada no atendimento emergencial, mas na atenção primária, que é a prevenção, o Programa de Saúde da Família e o funcionamento das Unidades Básicas, que são a porta de entrada do sistema de saúde.


Segurança Pública em debate

Na manhã desta segunda-feira acompanhamos a palestra com o secretário de Segurança do Estado do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, que participou da reunião do Comitê Permanente de Segurança Metropolitano, na Câmara Municipal de Porto Alegre. Ele fez uma apresentação do trabalho desenvolvido no Rio de Janeiro e apresentou sugestões focadas na realidade de Porto Alegre e região, onde vivemos uma situação de crise diante da violência. Especialista no assunto, reforçou o que combate ao problema não depende exclusivamente do policiamento, mas de ações transversais entre todos os órgãos não apenas para repressão de crimes, mas na implementação de políticas públicas e sociais.


Dia do Operador de Telemarketing

Hoje é dia de homenagear que trabalha do outro lado da linha! Um serviço que não é nada fácil e que está presente em organizações dos mais diversos setores. Parabéns aos operadores(as) de telemarketing!

sábado, 2 de julho de 2016

Dia do Bombeiro

Hoje é dia de parabenizar os super-heróis da vida real: os bombeiros! Neste ano, em especial, a categoria tem mais um motivo para celebrar. Já está tramitando a desvinculação do Corpo de Bombeiros da Brigada Militar, o que deve garantir melhorias à corporação no Rio Grande do Sul.