segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Na tribuna: Porto Alegre pede socorro!

No fim de semana Porto Alegre registrou novos episódios bárbaros, não apenas na periferia, mas no Centro de Porto Alegre. Acusado de furto, um homem teve a mão decepada por um facão. Frente a isso só podemos avaliar que chegamos ao cúmulo, faltando palavras para descrever o jeito que está sendo tratada a segurança pública.

Nas vilas e bairros de Porto Alegre, o terror continua. No bairro Mário Quintava há dois desaparecidos, enquanto os tiroteios persistem na cidade, onde várias comunidades mantêm o toque de recolher e a insegurança reina de forma absoluta. Invadiram e roubaram dentro de um shopping center e se noticia nenhum fato irregular. A imprensa não pode ser sensacionalista, mas também não pode esconder da população o que está acontecendo. As redes sociais estão aí para revelar isso e não se pode tapar o sol com a peneira. Nossos governantes, tanto municipal, quanto estadual e federal, não podem mais esperar.

As pessoas nessas comunidades não podem sair para comprar um pacote de arroz, uma caixa de leite, porque estão em estado de sítio. No final de semana, o fim da Ipiranga foi fechado, a Ary Tarragô foi fechada, em meio a um grande tiroteio, numa ação que consiste em fechar a avenida, atirar, roubar, matar e ir embora.

Não queremos ver cidades seguras durante jogos de futebol ou quando tem eventos. Essa segurança tem que estar nas vilas de Porto Alegre, trazendo dignidade trabalhadores e suas famílias. O Estado já comprovou que não é capaz de fazer frente ao que está acontecendo e tampouco adianta descobrir o efetivo de um lado para tapar do outro. É hora de reconhecer o problema e pedir socorro. Precisamos da Força Nacional de Segurança em Porto Alegre!


Nenhum comentário:

Postar um comentário