quinta-feira, 26 de abril de 2018

Na Tribuna: "Porto Alegre está doente"

Ao entregar o seu pacote de projetos, o prefeito afirmou que a cidade está doente. Mas é aumentando o IPTU e insistindo nas medidas que atacam servidores que se remedia esta situação? Os efeitos colaterais podem ser piores e quem vai sentir é a população.

O primeiro "tratamento" que a gestão precisa propor para tratar essa enfermidade é uma atuação coerente. Se a folha de pagamento é o grande problema das contas públicas, não faz sentido que CCs continuem sendo nomeados, inclusive para atuar em órgãos desativados, como o MetroPoa. E como pensar em elevar tributos para o cidadão, diante de tanta precariedade na prestação dos serviços públicos?


Nenhum comentário:

Postar um comentário